«

»

jun 02 2016

Bondade de Yemonja

 

Olodumare estava desgostoso com todos os povos da Terra, porque eles o haviam esquecido. Por isso tirou a chuva do mundo. Com tão prolongada seca, morriam os animais, secavam as plantações e não havia quase água para beber.
Vendo o rumo tão desagradável que tomavam as coisas no planeta, os Orisás a quem Oloduramre havia entregado o cuidado do mundo, se reuniram e a proposição de Shangó, decidiram enviar YEMONJÁ para que fosse ver a Olodumaree lhe suplicasse o perdão.
YEMONJÁ seguiu o caminho da montanha onde Olodumare tem o seu Palácio. Passou muito trabalho, subindo pela encosta estreita e por isso teve que caminhar por vários dias, mas ao final chegou.
Tinha tanta sede que ao chegar aos jardins de Ollodumare, não pode resistir mais e se ajoelhou e começou a beber água em um poço pestilento que ali encontrou.
Enquanto isso Olodumare, que havia saído para dar o seu passeio matinal, viu de longe que alguém se atreveu a perturbar sua tranquilidade. Ao aproximar-se para ver quem era o intruso, ficou perplexo ao encontrar com YEMONJÁ que bebia ansiosa a água suja do charco.
Foi tanta a compaixão, que ele disse que se levantasse, que iria perdoar os homens, graças a esse ato dela e que lhes mandaria a água, pouco a pouco, para que não houvesse danos.
Por conta da benevolência e humildade de YEMONJÁ, que mesmo sendo ONI (Soberana), Olodumare teve compaixão para com os seres humanos novamente.

Eru Iyá ! YEMONJÁ todos os dias! Omi ô YEMONJÁ Ataramawá

Sobre o autor

tomeje

Axé à todos. Sou o Tomeje. Iniciado em 27 de outubro de 1987 para o Orixa Ogun. Desde que conheci a religião dos Orixás eu sempre me preocupei em apreender qual a função da religião e da religiosidade na vida das pessoas. Eu quero entender como isso funciona. Como a religião e a religiosidade formam a fé de alguém. São muito anos de perguntas, muitos questionamentos pessoais e poucas respostas e creio que seguirei assim, aprendendo sempre.
Agora, graças a essa nova tecnologia, tenho uma oportunidade de interagir e trocar experiencias e vivencias dentro da religião e assim aprender uns com os outros. Eu mais que vcs, com certeza, aprendo a cada pergunta.
Eu tento compreender a nossa religião pensando sempre numa comunidade que se ajuda mutuamente. E não é diferente neste meio de comunicação, que assim como os livros, discos, cadernos, fitas, dvd's e outras ferramentas de divulgação de conhecimentos, este blog é somente mais uma forma de comunicação.
Porém este nova possibilidade não deve ser pressuposto para descuidarmos do aprendizado com nossos mais velhos nas roças, no seu dia a dia. Ainda que por vezes seja difícil, eu aprendi que é na roça que se vive a realidade da religião.
Meu trabalho aqui é muito mais do que só falar e responder questionamentos a cerca da religiosidade. Meu objetivo é promover a discussão de assuntos que nos afetam direta ou inderetamente, é lembra-los que somos parte do TODO, que somos uma só comunidade e que o indivíduo, apesar de dos seus anseios pessoais, está inserido numa família de axé e, neste contexto, quanto mais se pensa coletivamente, mais o individuo se fortalece.
Candomblé só se faz no coletivo.
Sejam todos muito bem vindo a este projeto e que nossos queridos Orixas nos encaminhem sempre no melhor destino. Axé, Tomeje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>