Arquivo por mês: maio 2012

mai 31 2012

IKU E O AXEXÊ:

orixa 15

  IKU E O AXEXÊ:  Segundo a Cultura Yorubá, “Quando Odudua estava criando o mundo, encarregou os Orixás de recolherem a lama para moldarem os corpos dos seres, mas toda vez que tentavam pegar a lama, Odudua chorava condoída. Com isso, os Orixás interrompiam a tarefa e nada pegavam. Então Iku apareceu e pegou a …

Continue lendo »

mai 26 2012

O Ritual do Ipadê.

roda de orixas 2

  O RITUAL DO IPADÊ:  O ritual do Ipadê é praticado desde os primórdios pelo povo de Ketu. Por isso, com a constituição do Candomblé aqui no Brasil, este preceito não foi reproduzido nas Casas de origem Jêje.  É bom esclarecer desde logo que o ritual do Ipadê, e o padê de Exu são duas …

Continue lendo »

mai 25 2012

Mães de Santo. Final

menininha

Mãe Menininha Poucos dias antes de morrer, em janeiro de 1938, Mãe Aninha conheceu uma garotinha desconfiada que, nenhuma das duas podia imaginar, anos mais tarde se tornaria a ialorixá do Afonjá: Stella Azevedo. Depois de Mãe Senhora, veio Mãe Ondina, que cuidou do axé do São Gonçalo até 1975, quando então assumiu Stella de …

Continue lendo »

mai 24 2012

Mães de Santo. Parte 5

mae-stellajovem2

Mãe Stella. SUPERANDO A SI MESMO Ninguém entra para a religião dos orixás pensando em ser mãe-de-santo, pelo menos as pessoas sensatas, explica Mãe Stella: Porque aí não é algo espiritual, passa a ser uma coisa de superação. No candomblé, a gente não tem que superar o outro, tem que superar a si próprio. E …

Continue lendo »

mai 22 2012

Mães de Santo. Parte 4

mae-aninha2

Mãe Aninha MATRIARCADO Em todas as famílias, quando os filhos crescem e já são fortes o bastante, é natural que saiam de casa e trilhem seu próprio caminho. No candomblé não é diferente. Foi o que aconteceu com Maria Júlia da Conceição Nazaré, quando ela sentiu que podia criar a sua própria casa religiosa, fundada …

Continue lendo »

mai 21 2012

Mâes de Santo. Parte 3

gantois

Gantois Em meados do século XIX, a prosperidade do candomblé e da Irmandade de Bom Jesus dos Martírios foi interrompida por mudanças externas. Quando Francisco Gonçalves Martins assume como presidente da província, “de 1848 a 1852, um governador de extrema direita, antiafricano feroz”, segundo Silveira, inicia-se a urbanização da Barroquinha e o terreiro é expulso …

Continue lendo »

mai 18 2012

Mães de Santo. Parte 2

martininao

  Sr Martiniano Eliseu do Bonfim   Pesquisa bibliográfica, entrevistas e elaboração dos textos:  Agnes Mariano Acordo diplomático Ketus, angolas, jejes, haussás, tapás, oyós, ijexás, baribas, aon efans, gruncis. Para quem chegava a Salvador no final do século XVIII e início do XIX, a impressão era uma só: uma cidade negra. Porque negros eram os …

Continue lendo »

mai 17 2012

Mães de Santo. Parte 1

barroquinha

Igreja da Barroquinha   Mães-de-santo Pesquisa bibliográfica, entrevistas e elaboração dos textos  Agnes Mariano Mesmo antes de chegar ao Brasil como escravas, elas já conheciam a violência da guerra entre povos africanos vizinhos, que vendiam aos traficantes os prisioneiros vencidos. Mas elas nunca conheceram o medo. Na África, as mulheres iorubás participavam do conselho dos …

Continue lendo »

mai 14 2012

ELENINI, A INIMIGA DE ORI:

ifa 2

  ELENINI, A INIMIGA DE ORI: Os yorubás não concebem um ser malígno, como o diabo judaico-cristão, que objetiva unicamente destruir a obra do Criador, prejudicando as pessoas. Contudo, os africanos identificavam uma divindade cuja atribuição seria criar obstáculos, dificuldades na realização do destino dos Seres Humanos. Esta é Elenini, conhecida também como Ido Boo …

Continue lendo »

mai 10 2012

A cidade de ketu.

cidade de ketu

  KETU: As terras de Ketu ficavam em um planalto de terra dura e avermelhada, constituída de laterita, debruçando a leste em um pequeno barranco. Embora seja considerado um dos mais antigos povoamentos yorubás, não há registros históricos precisos sobre a fundação de Ketu. Ao contrário, existem inúmeras versões diferentes a esse respeito. Três delas …

Continue lendo »

Posts mais antigos «