Eu me recuso, talvez eu sempre tenha me recusado!

Sim! Este texto eu vou começar com um sim. Eu me recuso a ser idiota útil, massa de manobra e imbecil. Sempre me recusei a ser usado pelo poder, sempre me afastei de quem não pensa, não tem coragem de aprender e que vive na sombra dos outros. E vou sempre me recusar a ser tratado como cidadão de segunda categoria. Faço minhas escolhas e pago o preço de cada uma delas. Erro, muito erros, e carrego o aprendizado do erro. Acerto também, às vezes. Tenho minhas convicções e meus defeitos, sou como qualquer outro, um ser humano falho. Mas me recuso a colocar tudo nas mãos do destino, eu sou dono e responsável por tudo que faço hoje e que vai refletir no meu amanhã. Por isso me recuso a ser conduzido para vala comum dos que não pensam.

Ouvi que estou cada vez mais calado e introspectivo. É verdade, estou. O silencio do meu interior esta cada vez mais exigindo que eu o escute. Por isso, o silencio respeitoso ao eu que precisa falar comigo. Quanto mais vejo o mundo religioso se tornar um picadeiro, um palco, uma válvula de escape para os egos inflados e sedentos de aplausos, mais em silêncio preciso ficar. Observar e refletir necessita de tempo e maturidade religiosa, coisa que agora eu busco incessantemente. Gostaria de só falar palavras lindas, palavras amigas, sensatas e de elogio. Se eu não tenho estas palavras, me calo, me afasto e não incomodo ninguém. Mas não vou fazer parte da plateia do circo ou do palco. Não foi assim que aprendi, não esse espelho que tive, não foram só de palavras bonitas que se fez o meu aprendizado religioso.
Tenho visto crescer uma onda de faladores e sabios. Gente que ainda não aprendeu a fazer acaça, mas se acham no direito e no dever de r sua opinião naquilo a que NÃO foram chamadas.
A internet tem seus perigos e um deles é as pessoas acharem que ps assuntos da religião podem ser discutidos aqui. E falam, e falam, e falam. Sem pensar, sem o Poder de falar. Esquecem que nossa religião é baseada no respeito ao mais velho, na hierarquia e disciplina. Se o mais velho não falou nada a respeito de um assunto que alguém julga importante que seja falado, é por que o assunto não diz respeito aos que se acham no direito e dever de falar.
Falar o que não compete a alguém é assinar atestado de ignorância religiosa.
Estas pessoas a que me refiro, os faladores das verdades, fariam melhor uso do seu tempo aprendendo a ficar em silêncio.
Tomeje dp Ogun, 17 fevereiro 2020.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)