«

»

jul 25 2012

Abiku e Abiaxé: Final

 

Diferença de Abikú e Abiasé

É costume na cultura Gêge Yorubá dar nomes especiais a certas crianças chamadas ABIKÚ, cuja a tradução é “nascido para morrer”.Elas são consideradas pela ancestral cultura africana como pertences a uma legião de “demônios” que moram nas florestas ou em torno das árvores de Iroko,a gameleira branca,ou ainda figueira chorona.È sábio que cada um desse abikús quando nascem já trazem consigo o dia e a hora em que vão retornar para o “outro lado da vida” para companhia dos seus “amiguinhos” das florestas de Iroko. Geralmente esse tempo é determinado entre o nascimento e os 7 anos de vida.Assim as providencias são tomadas para que essas crianças permaneçam no mundo dos vivos. Fazendo esquecer as datas, e conseqüentemente seus “amiguinhos do outro lado”.Além de amuletos e magias feito nessas crianças , os quais vão desde símbolo,breves e patuás que são postos em suas pernas,braços e pulsos, pinturas destoantes são feitas em seu corpos de formam que transmitam sentimentos repulsivos para que assim os seus “antigos companheiros” do outro lado recusem uma nova ligação com “figuras deformadas” e os obriguem a ficar na vida.

Certos nomes significativos são dados a essas crianças ABIKÚS, para deixar claro que seus objetivos foram descobertos e antecipados:

NOMES DE ABIKÚ
1)Malómo – não vai embora novamente
2)Kosokó – Não existe mais pá (para cavar á sepultura)
3)Banjokô – Sente-se ou fique comigo
4)Durosimi – Espere para me enterrar (enquanto eu viver)
5)Jekiniyin – Permita que eu tenha um pouco de respeito
6)Akisatan – Não existe mais mortalha para sepultamento
7)Apará – Aquele que vai e vem
8)Okú – O morto
9)Igbekoyi – Nem a floresta quer a você
10)Enú-Kún-onipê – O consolador está desgastado
11)Akuji – Morto e acordado
12)Tijú-ikú – Envergonhe-se de morrer
13)Duró-orí-iké – Espere e veja como você será mimado

Festas especiais são feitas para esse tipo de crianças, nas quais o feijão fradinho e o azeite de dendê são fartamente distribuídos à todos como prato principal. Os abikús e outras crianças são convidas.

Assim como os “demônios” que as acompanham, para participarem dessas festas.Tal festa supostamente agradará aos “amiguinhos do outro lado” e os convencerá da permanência dos Abikús na vida normal, garantindo ainda os “amiguinhos” sempre um festim para seus deleites.

Os Abikús têm sido confundidos no Brasil com Abiaxé,que são as crianças nascidas “feitas de berço” e com missão espiritual.Os Abiaxés podem ou não refugar a missão espiritual na terra, retornando ao convívio de Olorún, dependendo unicamente do teor de compreensão que obtiverem de seus pais, mestres, tutores, cônjuges e etc…

Hipótese nº1 de ABIAXÉ – é oriundo de uma transmigração espiritual (morre em algum lugar, país,etc) e nasce na mesma hora ou horas depois em outro lugar e outro corpo. Carecendo apenas de um ritual de confirmação ou coroação do Ibá Orí (três adoxos e tudo mais), conforme o cargo espiritual designado por Ifá. É oferecido á Olodumaré e Olorúm pelos seus pais ou tutores e jamais conseguirá fugir de seu odú (predestinação), sob pena de refugar á missão terrestre (morrer), missão esta que geralmente é politica, missionária social ou espiritual.

Hipótese nº 2 de ABIAXÉ – é “feito” (raspado) na barriga da mãe, quando está é recolhida para a “feitura” e está grávida. Aí a criança recebe todos os fundamentos que a mãe receber, independente da qualidade de Orixá, nascendo “feita” deste mesmo orixá e carecendo apenas da confirmação ou coroação, as quais seguem as mesmas ritualísticas do primeiro caso de abiaxé.

Os Abikús são classificados em quatro modalidades:

Abikú Inã ou Izô – do fogo – Esse abikú é o que “come” a cabeça mãe (mata-a) no nascimento, ou “come” a cabeça do pai por acidente posteriormente. É um dos mais difíceis abikús de trato, e traz consigo a má sorte pra quem com ele mantiver relacionamento permanente. O abikú de fogo geralmente aliena o segmento social no qual estiver envolvido e não raro desenvolve uma psicopatia irreversível após os 21 anos. Uma pesquisa feita no Brasil constatou que a maioria desses abikús ou foram doados ao nascer, ou foram adotados por de seus pais legítimos.

Abikú Omí ou Azín – da água – Esse é o tipo que nasce de 6,7 ou 8 meses. Geralmente explode a bolsa-d´água da mãe nesse período e vai para incubadora. Morre precocemente ou cresce e sai desse período critico. Se seus avós forem vivos, estará ligado a eles mais do que aos pais. Seu principio de abi (vida) decorre entre 1 á 3,5 anos e o seu processo de Ikú (morte) inicia-se entre 3 á 5. O retorno dos “amiguinhos” é feito pro afogamento, tuberculose, desidratação ou cólera. A forma de evitar esse retorno é usar um nome contrário ao nome que trouxe de útero e promover trabalhos de ordem espiritual propiciando ofertas aos odús (presságios).

Abikú Alé – da terra – Esse tipo segundo a ancestral cultura Yorubana, os mais trabalhosos para os sacerdotes e parentes, uma vez que está intimamente ligada aos “amiguinhos das florestas” que com freqüência o chamam de volta. Muitas vezes nasce pro cesariana, ou de parto normal sanguinolento. É uma criança agitada, com tendências á neuroses familiares. Tem condição congregaste e como o abikú do fogo, costuma “comer cabeças” não só de parentes, como de outras pessoas. Contrata-se esse abikú,usando o nome contrário ao seu objetivo e promovendo-se festas anuais nas quais existam o feijão-fradinho e dendê em abundância para todos.A forma de retorno também é por acidente em quedas de alturas ou por doenças de pele e órgão digestivo.O tempo de vida (se não tratado) oscila entre 4 e 8 anos.

Abikú Fefé – do vento – Esse tipo difere um pouco dos outros demais, por ser de especial origem no meio do convívio das pessoas. Ele destaca-se em todo o ambiente desde seu nascimento que em geral, foi inspirado ou não planejado. Tem características próprias e pode ser facilmente induzido á manter-se na vida em face de sua instabilidade emocional inicial. Deve como os demais, ter um nome contrário ao fato constante instado ás delícias da vida. Por ter mais do que “amiguinhos” do outro lado, poderá ser salvo por Exú e Oyá na hora H.

Sobre o autor

tomeje

Axé à todos. Sou o Tomeje. Iniciado em 27 de outubro de 1987 para o Orixa Ogun. Desde que conheci a religião dos Orixás eu sempre me preocupei em apreender qual a função da religião e da religiosidade na vida das pessoas. Eu quero entender como isso funciona. Como a religião e a religiosidade formam a fé de alguém. São muito anos de perguntas, muitos questionamentos pessoais e poucas respostas e creio que seguirei assim, aprendendo sempre.
Agora, graças a essa nova tecnologia, tenho uma oportunidade de interagir e trocar experiencias e vivencias dentro da religião e assim aprender uns com os outros. Eu mais que vcs, com certeza, aprendo a cada pergunta.
Eu tento compreender a nossa religião pensando sempre numa comunidade que se ajuda mutuamente. E não é diferente neste meio de comunicação, que assim como os livros, discos, cadernos, fitas, dvd's e outras ferramentas de divulgação de conhecimentos, este blog é somente mais uma forma de comunicação.
Porém este nova possibilidade não deve ser pressuposto para descuidarmos do aprendizado com nossos mais velhos nas roças, no seu dia a dia. Ainda que por vezes seja difícil, eu aprendi que é na roça que se vive a realidade da religião.
Meu trabalho aqui é muito mais do que só falar e responder questionamentos a cerca da religiosidade. Meu objetivo é promover a discussão de assuntos que nos afetam direta ou inderetamente, é lembra-los que somos parte do TODO, que somos uma só comunidade e que o indivíduo, apesar de dos seus anseios pessoais, está inserido numa família de axé e, neste contexto, quanto mais se pensa coletivamente, mais o individuo se fortalece.
Candomblé só se faz no coletivo.
Sejam todos muito bem vindo a este projeto e que nossos queridos Orixas nos encaminhem sempre no melhor destino. Axé, Tomeje.

112 comentários

1 menção

Pular para o formulário de comentário

  1. luz13

    Lembrei da Aline, da Cidade das Pirâmides que em seu programa( http://www.deolhonomundo.com ) disse: “Entidades são nossas identidades ligadas aos seres da natureza, Orixás e Raios por sintonia de vibração”. Vejam o programa acho que vão gostar! Abçs

    1. tomeje

      Luz13 agradeço sua contribuição, mas eu em particular não vejo nenhuma verdade nas palavras de alguém que mistura tantas vertentes e crenças numa tentativa de unificar ou massificar as divesas culturas e religiões. Me parece que é uma visão de mundo particular e muito reduzida a um único ponto de observação, no caso, o dela. Nossa religião nunca será aprendida sem a presença no terreiro e no dia dia da religião. Muito menos será prendido quando se mistura conceitos tão díspares como os que a Aline pretende mostrar como sendo tudo parte de uma única visão holística. Eu em particular não aceito esta redução/simplificação da minha religião como parte do “todo”. Grato, me perdoe a dureza do comentário, mas é a minha opinião. Axé, Tomeje.

  2. Gustavo

    Oi Tomege, li centenas de postagens e respostas suas em outro blog que participava.

    Aparentemente tenho muitos traços de abikú de água (nasci com menos de 8 meses, tive crises seríssimas e crônicas de bronquite na infância, já quase morri afogado levado pelo mar). Na umbanda me disseram que sou de Nanã e Yemanjá (água, água…)

    Gostaria de visitar algum terreiro tradicional, sério, e cujo babalorixá soubesse lidar com essa peculiaridade do candomblé (abiasé; abiku), aqui no estado ES. Sabe indicar algum terreiro?

    1. tomeje

      Gustavo o meu primeiro conselho é que vc procure alguém de sua confiança ou alguém que vc sinta confiança. Tenho sim uma pesso amiga no ES. Mas antes é preciso que vc saiba que nem sempre a primeira palavra é de fato a realidade, deixe que o jogo da pessoa que vc escolher diga a este respeito, não se impressione nem leve para amesa do jogo esta “””certeza””””, afinal ela pode não se confirmar, certo? É fundamental que vc chegue no jogo sem estas idéias pre concebidas, ok?
      Procure por Sérgio de Oyá, 27 3241 3331 ou 27 9262 1127. Axé, Tomeje.

  3. wanderley

    boa noite me disseram que sou abiaxé oque devo fazer ??

    1. tomeje

      Wanderley seja bem vindo. A minha opinião sobre este assunto é que deveríamos, nós zeladores, ter mais cuidado ao informar alguém desta condição por que há muita desinformação e informação equivocada sobre esta “sociedade abikú”. Acho sempre mais prudente que vc procure um jogo com alguém de sua confiança e que dê preferencia para as Casas tradicionais. No que mais posso te ajudar? Axé Tomeje.

  4. Agèlé Ossàn

    Sou Abiaxé mas me trataram como àbíkú. Apesar de não mais praticar a religião, sei que o que foi feito salvou minha vida na terra.

  5. DAN

    OI!me disserao que sou abiaxé. nasci de oito meses,mas antes de nascer minha mae tentou de tudo para me matar mas nao conseguiu,remedios ervas e etc. nasci otima linda perfeita
    sempre fui otima em tudo sempre me destaquei em tudo,nao querendo me vanloriar e claro!sou umbandista,mas meu pai de santo e de candomble.E a pedido dele fui num jogo de busios e disserao que sou abiaxé.voce acha que eu posso ser DO TIPO ABIKU FEFE POR QUE FOI O UNICO QUE EU ME ENDENTIFIQUEI!BJOOS.parabens pelo otimo tabalho

    1. Marcio de Jagun

      Dan, boa noite. Me permita uma observação. Como pode seu Pai de santo ser do candomblé e vc ser de Umbanda? E se eleé de candomblé, porque ele mesmo não jogou para vc? E sendo ele do candomblé, como pode ele não saber diferenciar abiaxé de abikú? Pelo seu relato, não há nada que indique vc seja abikú, muito menos que vc seja abiaxé. O fato de sua mãe ter querido abortar não te coloca na classificação de abikú nem de abiaxé. Talvez, por outros motivos, visto num bom jogo de búzios, pode ser que vc tenha alguma ligação com abikú, mas não pelo fato relatado no texto.
      Abiaxé é aquele nascido do axé ou no axé, não tem nada a ver com abikú, são assuntos distintos e completamente diferentes. Minha irmã, na Umbanda não existe abiaxé nem abikú, pelo menos na Umbanda tradicional e sem misturas. Se vc está feliz na Umbanda, procure uma Casa que pratique de fato a Umbanda sem interferencias de outros segmentos e vc vai perceber que Umbanda é linda e tem ritos maravilhosos para serem estudados. Grande axé, Tomeje.

  6. Thainá Borges Santos

    Oi !Bom fiz um jogo de búzios mês passado e o zelador de santo disse que sou”Abiaxé” pq quando minha mãe foi feita no candomblé estava grávida de mim…Mas ele me falou que no jogo que não me via com incorporação,que eu seria ekédi..Pois sei que ekédi tem uma grande responsabilidade dentro do terreiro e tem coisas que não sou a favor como por exemplo:Sacrifício de animais etc..Gostaria de saber se poderia cuidar dos meus orixás só com obrigações e não ser ekédi..cuidar deles pra eles cuidarem de mim…Ele disse também que preciso ser feita,mas não vou ser raspada e cortada…A dúvida é essa:mas eu já não fui feita na barriga da minha mãe?Gostaria também se saber minhas outras linhas caboclo,criança,preto velhos,exus mas ele me disse que só quando eu entrasse num lugar(quando fosse iniciada)..Nossa são tantas as dúvidas!!Um grande beijo
    Thainá Axé!

    1. tomeje

      Thainá seja bem vinda. A pessoa que nasce do axé, que é exatamente o que vc relatou é abiaxé, porém isso não quer dizer que esta pessoa não precise ser iniciada. A iniciação foi feita para a mãe, o abiaxé precisa ter seu corpo sacralizado, aprender sobre o seu orixa e conhecer-se mais profundamente, e isso só acontece na iniciação segundo a nossa tradição religiosa. A questão da matança é muito delicada e na maioria das vezes mau interpretada e mau explicada nas Casas de Axé, mas lembre-se que se vc come carne, esta carne provem de uma matança. No candomblé o sacrifício animal é um rito feito dentro de certos preceitos rigorosos e limites éticos, não se mata por matar um animal, existe todo um contexto envolvido nisso. o mais importante é que esta liturgia não é de modo algum uma coisa demoníaca ou ruim, pelo contrário, o sacrifício tem uma função soial e alimentar, pois toda a carne proviniente deste rito deve ser consumida pela comunidade e o axé deve ser repartido entre todos. Se o jogo te indicou ekedji, não há como modificar isso. Apesar de que eu acho que o mais prudente é que vc estude melhor a religião, vá frequentando o terreiro e vendo se vc se adapta a esta religião. Sobre as entidade, nem todos as tem, e é verdade, isso só se sabe ao longo do tempo de convívio e prática religiosa. Orixá é um ancestral divinizado e podemos comparar o seu culto com as relações familiares, onde um cuida do outro com amor e dedicação, mas quando esta relação se torna unilateral algo está errado. Portanto não pense em orixa como algo que vai cuidar de vc só porque vc se iniciou ou porque precisa ou quer ser cuidada. Orixa é seu ancestral e devemos respeitá-lo como tal, amá-lo como tal e cuidar como cuidamos dos nossos amores. Orixá não se presta a trocas ou barganhas, Ele pode e te ajuda no seu caminho e na sua vida, mas vc sempre vai precisar fazer a sua parte na sua vida, não há magias nesta relação entre Orixa e seu filho. Espero ter te ajudado. Tomeje.

  7. Eliane Barbosa Lima

    Quero alugar uma casa para eu morar, trabalhar, e, montar meu barracão, com quintal grande . Encontrei uma casa em Jacarepaguá ( Taquara ), Comentei com meu Zelador, este já torceu o nariz, não falou nada, e, eu não consegui alugar. Pedi á ele que me fizesse um ebó, e, este não fez. Pedi que ele abrisse um jogo pra mim, e, ele nada. O que é que eu faço? Como devo proceder ? Preciso de forças para começar minha jornada e não estou conseguindo! Ás vezes parece que toda a minha força foi sugada por alguma energia que me deixa completamente desanimada e triste, ao ponto das pessoas me dizerem que meu temperamento mudou, dando à entender que sou uma mulher BIPOLAR. ! E agora! o que é que eu faço?

    1. tomeje

      Eliane (Yá Eliane) eu tenho um amigo que tem um barracão montado em Santa Cruz da Serra, com um ótimo espaço e bem localizado, se vc quizer eu falo com ele e te dou o contato dele. Já tem barracão, casas de orixa, árvores litúrgicas e poço, a rua é calçada etc etc.
      Sobre o que fazer nesta situação? Ter calma e diplomacia, não desanime nem entre em conflitos, deixe que o Orixa vai te ajudar nisso. Grande axé pra sra, Tomeje.

  8. GABRIELA

    oi , primeiro gostaria de deixar registrado aqui a admiração que tenho por vc Tomeje ,sua delicadeza em responder ,em orientar e aconselhar sempre de modo cortez , elucidatorio e coerente , acompanho algumas de suas publicações em outros locais e sempre que as leio me sinto confiante e segura.continue esta pessoa maravilhosa que voce é , a humildade de suas palavras o tornaram alguem muito especial para mim , mesmo o conhecendo apenas pelas publicações , muitos de nossos irmão precisam lembrar que a base do nosso candomblé é a humildade .
    sou abiaxé , nascida da feitura de minha mãe , tenho minhas obrigações cumprdas e estou com algum filhos sobre minha responsabilidade , tenho uma criança (meu irmão adotivo) de 7 anos ,que passou por sérias complicações de saúde após o nascimento e quase feio a falecer .(inclusive a genitora tomou abortivos ),esta criança é do orixá omolu , em meu jogo não o vejo abikú, mas por via das duvidas o levei para meus pais jogarem e confirmar ,eles o disseram abikú como proceder com esta criança , cumprir ou não os ritus para abikú ?, quais os riscos de cumprir os ritos para abikú,casa ele não seja ? gostaria muito de sua opinião ? um forte abraço e desejo de muita luz para vce todos os seus .AXÉ

    1. tomeje

      Gabriela. Olá minha Mãe sua benção e obrigado pelas palavras de carinho e incentivo. Gabriela a condição de abikú não se configura somente pelo nascimento ou pelas circunstancias deste nascimento. Esta criança pode ter ligação ou vir a ter que cuidar de deste assunto, abikú, por outros motivos. É como se fosse um ancestral dele, ou um Orixa de herança que ele precisará cuidar. Eu, por exemplo, tenho uma Oyá de herança, em alguns anos Ela está mais próxima e mais ativa, e em outros anos Ela “some do mapa”, mas isso não quer dizer que eu seja de Oyá ou que eu possa esquecer de cuidar desta herança/Oyá. Entende? Pode ser que apesar das complicações ele não seja mesmo abikú. Outro aspecto que devemos levar em conta é que nem todos os abikú precisam de cerimonais tão específicas, apenas um grupo de abikú é que precisa de cuidados específicos e em algumas Casas nem é raspado, mas em geral, todos recebem as mesmas liturgias dos demais yawos. Talvez seja interessante vc rever esta condição de abikú e aprofundar-se nesta questão durante o jogo para ver se não é só uma questão de “herança”.
      Yá, vou tentar ajudar indiretamente rsrsrs falando por metáfora. Sobre Oxum opará, por exemplo. Tem muita Casa que na iniciação, mesmo sem confirmar se há de fato necessidade, já faz dois assentamentos, um para Oyá e outro para Oxum, mesmo sem confirmar se aquela energia Oxum e se aquela cabeça precisa mesmo da energia Oyá em um assentamento, é meio que receita de bolo, ou melhor, um certo exagero por medo de errar pela falta. Porém há diversas Casas que jogam e verificam se aquela cabeça e se Oxum realmente precisa ter ao seu lado o assentamento de Oyá, muitas vezes, para aquela cabeça, para aquela pessoa, basta um otá para que a ligação entre Oxum e Oyá seja estabelecida, sem necessidade de assentar “formalmente” Oyá. Ajudei? rsrsrs. Axé e sua benção, Tomeje.

  9. OmôAirá

    Saudações Tomeje,
    Minha questão é simples: uma pessoa abiku pode vir a se tornar babalorixá ou ialorixa? Pq?
    Aproveito para parabeniza-lo por proporcionar debates tão esclarecedores.

    1. tomeje

      OmôAyrá, seja bem vindo e obrigado, a equipe do blog agradeçe suas palavras. Não há nada que impeça que alguém abikú tenha sua Casa de Axé. Existem muitas “lendas urbandas” e entendiemntos equivocados a cerca de assuntos ligados a Ikú (um Orixa como outro qualquer, mas que tem como função ou domínio a morte). Uma destas lendas ou entendimentos equivocados diz respeito a estas pessoas terem restrição porque eles teriam a mão fria, ou seja, a mão da morte. Acho que o princípio deste assunto é conhecer e entender o conceito de morte Yorubá, que não tem nada a ver com o conceito judaico cristão. Para os Yorubas a morte não é castigo nem dor, é apenas uma outra forma de viver. As vezes para entender um assunto que aparentemente se mostra simples é preciso conhecer outros conceitos e realidades. Espero ter ajudado, axé, Tomeje.

  10. Mauricio

    Apenas para parbenizá-lo pelas colocações muito bem apresentadas, mucuiu

    1. tomeje

      Maurício seja bem vindo, desculpe a demora em postar o comentário mas estávamos em função na Casa de Axé. Obrigado pelo comentário e fique sempre a vontade aqui neste espaço. Axé, Tomeje.

  11. vanessa

    oi boa noite? Bom minha duvida e que minha mae de santo diz que venho por linha de abiku porque sou gemeas. A mae de santo da minha irma ja fala
    que nao egiste linhas de abiku entao eu nao sei mais o que pensar eu sou da umbanda e minha irma e do camdoble.muito obrigada pelo espaco e aguardo anciosa a sua resposta.

    1. tomeje

      Vanessa bom dia seja bem vinda. A coisa está confusa. Logo de início há uma grande confusão que eu acho que é a mais grave. Sua mãe de santo que é de umbanda fala em abikú, porém este tema é de candomblé, não existe o tema abikú em umbanda
      A mãe de santo da sua irmã, que é de candomblé, fala que não existem linhas de abikú. O comentário dela é um espanto vindo de alguém de candomblé que deveria conhecer muito bem este assunto. Portanto a confusão está longe de ser pequena.
      Como vc leu no texto, o termo abikú está ligado a nascer e morrer. No caso de vcs duas, gemeas, as duas estão vivas. Então, aparentemente, não há motivo algum para falar de abikú com vcs.
      Diante do que vc disse notexto as duas mães estão equivocadas. Acho mais prudente vc estudar mais a umbanda e sua irmã estudar mais o candomblé. Se o assunto de abikú persistir, se quiserem fazer “obrigações” para abiku em vc, acho prudente vc procurar opinião de alguém mais capacitado no assunto e ver o que esta pessoa diz diante de um jogo de búzios específico para este fim. Umbanda e candomblé são dois caminhos paralelos, são gemeos, mas cada um tem sua personalidade e seu destino, misturar as coisas é complicado. Vc sabe muito bem disso, não é rsrsrsrsrs? Espero ter ajudado e vc tiver mais dúvidas pode perguntar. Axé, Tomeje.

  12. simone

    Bom dia ! Tenho duas dúvidas a respeito da minha iniciação. Após anos de Umbanda resolvi abandonar e fiquei 14 anos longe de tudo. Minha vida deu um nó! Então resolvi me iniciar em Angola. Eu fiz um bori q eles chamavam de meia feitura.Com ejé,resguardo… Mas ñ raspei só abri curas.. Sai daquela casa e resolvi me iniciar no Keto. Mas minha babá disse q era melhor eu voltar pra minha origem , pois eu ñ sou de KETO ( toda vez q acho q ia raspar no Keto algo acontecia e ñ conseguia isso por duas vezes ) q por lá eu já era feita. ai deu foi um nó na minha cabeça ! Procurei outra casa de Angola q disse q eu devo só fazer um Ebó e Bori depois devo fazer minha obrigação de três anos.. Mas sempre q jogo búzios ouço dizer q minha cabeça ñ é pra ser raspada, pois ou eu fico louca ou quem raspar fica ou morre. Enfim, lendo seu post, vi q ñ sou abiku ou Abiaxé. Apesar da minha mãe (já falecida )ter quase morrido aos quatro anos ficou muito mal. meu bisavô materno q era escravo liberto e mandingueiro cuidou dela. eu quase morri por duas vezes na barriga da minha mãe pois meu pai a obrigou a fazer aborto,mas eu consegui sobreviver. Minha avó e minha mãe eram feitas. só ñ sei a nação ou se foi durante a minha gestação. As duas abandonaram a religião…onho comigo mesma de Oyá ou de Oxum , as vezes falo em uma lingua africana . e já faz anos. as vezes a tradução é q ela quer a minha cabeça, meu Ori. E agora o q devo fazer? Gostaria da sua opinião…

    1. tomeje

      Simone, bom dia e seja bem vinda ao blog. Eu reli seu comentário várias vezes para entender direito e tentar te dar alguma ajuda. Em primeiro lugar. Não existe isso de meia feitura, ou se faz ou não se faz e ponto final. Lendo o seu relato, me parece que foi feito um bori e qu esta pessoa fez alguns “atos cênicos”, desculpe mas me parece que foi uma brincadeira ou uma tentativa de te impressionar. Num bori não se faz cura, isso é invenção. Além disso tem muita gente falando que é de Angola e que não sabe nem tocar Angola. Fazem uma misturada e prejudicam a Umbanda e a Angola.
      Quem te disse que a sua feitura vai te deixar louca, no mínimo deve ser despreparado para o cargo que ocupa. Te peço que leia neste blog e no blog ocandomble.wordpress, os posts sobre iniciação, todos eles relatam que a iniciação é um ato sagrado e que deve sempre trazer benefício ESPIRITUAL, paz, harmonia e uma boa relação com seu Orixa. Definitivamente quem te falou isso é despreparado. Como pode alguém iniciar o outro com todos estes objetivos que eu citei e a recompensa pela iniciação da outra pessoa ser a morte? Isso é absurdo!
      Vc pode realmente não ter nascido para raspar, vc pode ser da umbanda, mas isso não quer dizer que vc não vá passar por cerimonias de iniciação. Na umbanda é a camarinha e não se raspa cabeça, mas é um tipo de iniciação. No candomble se raspa. Mas se sua cabeça é de umbanda vc deveria aceitar seu caminho e seguir nele.
      Isso de falar em lingua africana é complicado, tem que ser muito bem esclarecido por alguém que realmente conheça a lingua.
      Outro ponto conmplicado é que VC escolheu Angola e depois escolheu Ketu. São segmentos diferentes, culturas diferentes, linguas diferentes e tradições diferentes. O normal é que as pessoas frequentem um Casa de Axé e aos poucos vá percebendo se aquele é um bom lugar para ela e para suas Energias, é um processo longo de namoro entre as partes, não se faz esse namoro de uma hora para outra. E muitas vezes, as pessoas não se adaptam ao segmento e vão procurar outro é normal sim.
      O Orixa/Inkise ou Vodum querer sua cabeça é uma indicação de que vc, se desejar, pode participar desta religião, não quer dizer que vc tenha que que raspar. Acho muito sinceramente que vc deve procurar uma Casa de Axé que seja tradicional, com boa reputação, e fazer um jogo. A impressãoq ue eu tenho do seu comentário é que vc tem procurado Casas que não sabem direito o que fazaer e estão te confundindo mais ainda. Espero ter ajudado, axé, Tomeje.

  13. Ìyá Célia Ògún-Já

    Prezado Bàbá Tomeje, peço tua benção.
    Por favor, poderia informar-me onde achou informação sobre os Àbíasé?
    Caso tenha sido alguma obra ou pesquisa de Pierre Verger ou de outro ilustre, gostaria muito de saber a fonte.
    Desde já, Olorún Mo dúpé.
    Um grande abraço de tua irmã de àsé,
    Ìyá Ògún-Já.

    1. tomeje

      Meus caros irmãos perdoem minha ausência e minha demora em responder, mas tive um problema no computador e só agora conseguimos solucionar. Seja bem vinda Yá, sua benção. Este material está no livro “os nagô e a morte”. Um livro fundamental para nossa leitura. Axé e sejamos felizes com nosso Pai Ogum-Já. Tomeje.

  14. Nilda

    Boa tarde! sou iniciada de ewaha 15 anos, meu pai já não está mas nesta terra e não me encinou muita coisa sobre meu orixá. E eu tenho varis duvidas: dizem que existe varias qualidades de Ewa, uns dizem que ela é a femea de oxumarê, outros dizem que é uma qualidade de Iemanjá, e assim por diante, até como cantar e rezar para ela eu não se pois eu ficava a maioria das vezes em tranze(virada).

    1. tomeje

      Meus caros irmãos perdoem minha ausência e minha demora em responder, mas tive um problema no computador e só agora conseguimos solucionar. Nilda este orixá é a personificação do bom caráter. Veja que os motivos que levaram Yewá a não se render aos encantos de Xango, foi a firmeza de caráter dela que não aceitou a condição de amante de Xangô. Dizem que se trata de um orixá ligado a virgindade, isso, para mim, é nadar no raso, precisamos buscar o aprofundamento das questões. Eu entendo Yewá como Yewa e não como qualidade de outros orixás, vamos conversando mais? Tomeje.

  15. Cristina

    Bom dia!! Ontem eu estive em um zelador e ele me disse que eu posso ser abiaxé, só que eu fui feita com 7 anos de idade e minha mãe ou meu pai tinha que entrar comigo, porém meu pai já tinha uma mãe de santo e ele não quis fazer o santo junto comigo, acabou sobrando pra minha mãe.. Todas as casas de santo que eu vou me dão Omolu porém meu zelador me fez de Oxalufan, pois disse que eu sou abikú. Fiz a feitura com 7 ano de idade hoje eu estou com 21 anos e 14 anos de santo. Eu li tudo o que o Sr pois e não me identifiquei com nenhum. Dizem que abikú é quando a mãe morre porém minha mãe esta viva graças a Deus e eu também.. Eu viro e mexe tenho que esta dando ebô pra afastar esse abikú da minha vida, se não eu fico doente ou então eu começo a ir pra rua e fazer besteiras. Eu queria saber o que eu sou mesmo, abiaxé ou abikú e outra duvida que eu tenho é sobre abikú não virar com o santo isso existe ? Meu pai de santo disse que eu não viraria, porém quando eu fui feita minha mãe disse que eu vim toda torta e eu só acordei quando eles estavam passando as ervas em mim. E na obrigação de 3 anos e 7 anos eu apaguei só ouvia o povo cantando porém não enxergava nadinha. Por favor, isso há solução ? eu fico confusa com tudo isso. Desde já muito Obrigada e muito axé pro Sr.

    1. tomeje

      Meus caros irmãos perdoem minha ausência e minha demora em responder, mas tive um problema no computador e só agora conseguimos solucionar. Cristina desculpe a franqueza mas pelo seu comentário vc está e esteve em mãos despreparadas. Abikú é muito mais que o falecimento da mãe durante o parto, abikú é uma sociedade no Orun e um tema bem mais complexo. Qualquer pessoa pode ter ligação com abiku por inúmeros motivos, mas isso não significa que a pessoa seja abikú, ela tem LIGAÇÃO. Ser abiaxe é outro assunto complexo. A presença da sua mãe ou do seu pai na sua iniciação não fez de vc uma abiaxé, me parece que a pessoa queria é fazer a família toda. Abiaxé é quem nasceu no ou do axé e quem estava no ventre de sua mãe quando esta foi iniciada, é outro assunto. Sobre ser feita de Oxalá por ser abikú é um erro grosseiro. Mas se vc foi iniciada de Oxalá vc será sempre de Oxalá, pode no máximo, resolver a questão com Omolú e coloca-lo no seu lugar merecido e de direito, só isso, mas Oxalá estará sempre no seu caminho te ajudando. Vamos conversar mais sobre isso? Tomeje.

  16. kassio

    Bom dia Tomeje,minha tia é ABIKU,ela tinha perdido uma criança com 2 meses,então ficou gravida de novo e meu primo nasceu,ele é abiku tambem?

    1. tomeje

      Meus caros irmãos perdoem minha ausência e minha demora em responder, mas tive um problema no computador e só agora conseguimos solucionar. Kassio boa tarde, como foi comprovado que sua tia é abikú? Ela pode apenas ter ligação com os abikús, nada além disso. Abikú é a criança que morreu, sua tia pode não ser. Vou explicar usando a criança que nasceu agora. Esta criança, se for criada numa casa de axé, com certeza deverá ser ensinada a ter compromissos e a cuidar de abikú porque ela nasceu de um ventre onde foi gerado um abikú, portanto esta criança tem ligação com a sociedade dos abikú, mas isso não quer dizer que ela seja abikú. Ficou claro a diferença?. Axé, Tomeje.

  17. EDSON RICARDO L.GUEDES

    TOMEGE GRANDE ABRAÇO IRMÃO.OXOSSI INLÉ É ASSENTADO NA LOUÇA COM 16 OTAS DE OXUN?OU NUM IBÁ DE BARRO COM SEIS OU SETE PRATOS FORA A FERRAMENTA?PODE ME EXPLICAR IRMÃO?NZAMBI NA KUATESÁ

    1. tomeje

      Edson Ricardo seja bem vindo ao blog. Seu comentário me deixou uma dúvida. No final vc se despediu com uma saudação típica de Angola, e no Angola não se cultua Odé. E esta qualidade de Odé, Inle é muito específica de Ketu. Mas vamos ao que eu sei sobre isso, no livro do professor Reginaldo Prandi “Mitologia dos Orixás” há um capítulo que fala sobre Inlé e Erinlé fazendo referencia ao rio que leva este nome “inlé ou erinlé”. Mas não está claro se o autor se refere a estes nomes como qualidades de oxossi ou se o autor faz referencia a um lugar onde oxossi habita. Meu irmão, independente das ligações deste Oxóssi, seja com Oxum ou com qualquer outro Orixa, Ele será sempre Oxóssi, e por isso, no meu entendimento, será sempre um Orixa Olodê e sempre colocado no barro como qualquer outro Oxóssi. Sobre o otá, para mim, cada orixa tem 01 otá, 01 único ponto de concentração de sua energia. Pode haver num ibá diversos outros adornos como por exemplo 06, 07 ou 16 otás, mas serão apenas adornos ou lembranças de sua ligação com determinado Orixa, no caso vc citou Oxum. Exemplo disso é o caso de Ode Kare que no seu ibá PODE ser encontrado um pequeno abebe para lembrar sua ligação com Oxum, mas o ibá é de barro como todos os demais Oxóssi. Espero ter te ajudado, axé, Tomeje.

  18. Ticiana Ramos

    Boa-noite! e sua benção.Gostaria de uma orientação pois, há 14 anos foi feito um bori no ketú , devido a dores que eu sentia no ventre deixando minha mãe apavorada e buscando ajuda a um pai de santo, este me fez curas e toda uma cerimônia (onde houvera gastos exorbitante).
    Quando que era algo simples e maravilhoso, eu estava grávida sem saber, fiz uma ultrassonografia antes da feitura que não constou nada.
    A explicação dele foi que Oxum (minha mãe de cabeça) escondia o que eu tinha na barriga e só iria aparecer devido a uma feitura de santo.
    Mais a preocupação de minha mãe foi tanta que eu fiz a iniciação.Depois disso descobri que estava grávida de um menino que nasceu forte e sadio (hoje com 13 anos).
    Depois dessa descoberta ficamos eu e minha mãe transtornada com o pai de santo que nos deixou no escuro sem nos orientar em nada, apenas brincou com o nosso desespero e deixando-nos com dúvidas.
    Logo após a feitura houve uma reviravolta em minha casa (hoje em dia contornada devido eu e minha mãe ter ido buscar auxílio na umbanda).
    A orientação que peço é pelo meu filho, pois se eu fui curada ele também foi ?
    O que devo fazer, pois uns dizem que ele é abikú outros abiaxé e isso me deixa com medo devido a complexidade do assunto .Qualquer coisa que eu faça espiritual em mim ele deve estar presente?
    Por favor me dê uma luz e me diga como devo prosseguir.Desde já agradeço.
    P.s: Qual seria o endereço do seu terreiro e o número de telefone para que eu possa entrar em contato.

    1. tomeje

      Taciana bom dia. Em primeiro lugar vamos discutir o assunto do bori. Bori significa Bo(comida ou dar de comer) Ori (cabeça) juntando estas palavras temos a expressão Bori (dar de comer a cabeça). No meu entendimento não faz bori para orixá algum, o bori é feito para o ori daquela pessoa e deve ser direcionado para harmonizar e equilibrar a cabeça, nada além disso. Do que eu conheça não se faz cura em bori, a cura é parte de outro rito. O bori é feito para dar equilíbrio e este rito tem tempo de validade. Quando se indica que alguém deve fazer um bori, esta cerimonia deve ser feita o mais breve possível. Os efeitos devem ser sentidos/vistos também num tempo breve. A duração dos benefícios de um bori geralmente tem um tempo de dois ou três anos, devendo ser refeito para dar continuidade a esta harmonização espiritual.
      Taciana, vc falou em iniciação. Se vc fez um bori isso não significa que vc foi iniciada, bori não inicia ninguém. O processo de iniciação é bem mais complexo e lento que um bori.
      Talvez o “pai de santo” não tenha tido informação para te repassar e por isso te deixou na mão, afinal quem faz bori e diz que é iniciação, quem diz que Oxum escondeu a sua gravidez, quem não viu no jogo esta situação, pode muito bem não ter conhecimento suficiente para passar. Desculpe a dureza mas é isso que acho desta situação.
      Quanto ao seu filho, no candomblé, só um jogo pode dizer se ele é abikú. Com toda certeza ele não é abiaxe porque, como eu te disse antes, um bori não inicia ninguém, e vc não foi iniciada quando esta grávida dele. Mas se vc está na umbanda, faça uma consulta com o Guia da Casa e veja se há alguma coisa a ser feita pra ele, mas lembre-se que na umbanda não existe abiku ou abiaxe e por este motivo minha sugestão é que vc esqueça isso e se atenha ao que o Guia te orientar de acordo com a umbanda.
      Eu moro no RJ, mas acho que vc deve procurar ajuda em primeiro lugar, no segmento que te acolheu, a umbanda. Se houver alguma indicação da sua Casa para vc procurar o candomblé, eu posso te indicar alguém ou tentar te ajudar, mas só depois de vc procurar na sua Casa. Grande axé, Tomeje.

  19. Bruna de Osoguian

    Bom Dia, primeiramente deixar os parabéns pelo belo trabalho do blog,e aproveitando e deixando uma duvida que me acompanha a anos, Minha mãe quando nova, fez um aborto devido ser muito jovenzinha, anos depois teve um menino que hoje se encontra com 25 anos, 7 anos depois engravidou de min, hoje com 18 anos, POREM no jogo de mais de um babalorisas aparece que eu sou a abiku, é possível ?

    1. tomeje

      Bruna de Osoguian, sej abem vinda ao blog e obrigado pela participação. Eu entendo que há uma grande diferença entre ser abikú e ter alguma ligação com estas energias, no seu caso, vc pode ter ligação com a sociedade abiku devido ter nascido de um ventre onde foi gerado um abiku, mas em regra isso não te faz abikú, no meu entendimento, vc pode ter alguma ligação com abikú. Algumas pessoas nascem com a função ou necessidade de cultuar os abikú, aprender sobre esta sociedade e dar caminho a quem realmente for abikú, seria uma espécie de relações públicas desta sociedade, uma ponte entre eles e quem necessitar desta ajuda, isso é bem diferente de ser abikú.
      Há também um entendimento de que os filhos dos Orixa Nanã e Oxalá (incluindo Osoguian) seriam automaticamente ligados aos abikú, isso é uma outra possibilidade dependendo da interpretação do olhador do jogo. Axé, Tomeje.

  20. Jaci

    Mukuiu Pai! Venho por uma dúvida que ja vem assombrando minha vida desde dos 12 anos. Minha família não é vinculada ao axé, só minha bisavó falecida de Xangô, que era feita. A primeira vez que fui a um terreiro, me avisaram que precisava ser feita logo, iniciada por conta da herança que trago, entre outras coisas. Certa vez, mais velha com 16, o caboclo de meu tio(de sangue) virou em minha casa, e me disse que era pra eu ficar de olho no pai de santo que queria me raspar pois eu não podia de maneira nenhuma descer o desembá, por questões de ser abiku. Continuei entrando e saindo de vários terreiros, e todas as vezes em que ia me iniciar, dava tudo errado, e sempre uma entidade diferente vinha em pessoas que nao conhecia p avisar que n era nunca pra tocar nos meus cabelos. Passei o ano passado todo programando minha feitura, e mais uma vez tudo errado. Minha mãe não me teve no roncó, nem morreu no parto. Ia me iniciar no fim desse mês, mas mais uma vez, uma entidade da casa de meu pai de santo, me disse que tinham que ser feitos todos os processos, mas que só era pra ”coroar” e não raspar porque eu n posso de maneira nenhuma. Já conversei com o meu tata a respeito, e ele diz que não vai me dizer nada que isso é fundamento de roncó. Enfim, ja fui em varias casas, varios jogos de buzios e sempre as pessoas me falam que esse assunto não se pode ser contado a mim…fico sem entender nada. Queria um esclarecimento, se puder! rsrs A benção!

    1. tomeje

      Jaci seja bem vinda. Pelo seu comentário vc é de Angola, certo? Se for, em Angola não existe Abikú, há outras entidades similares mas que não tem o mesmo comportamento nem o mesmo caráter dos Abíku. Pode parecer uma coisa boba ou sem importância, mas quando se misturam as culturas e os conhecimentos litúrgicos de um segmento com outro sempre dá problema. Imagine o seguinte, em Portugal a palavra que designa fila é “bicha” e a palvra que designa pejorativamente os gays é “paneleiro”. Percebeu a diferença de culturas e línguas? Uma palavra pode mudar o sentido de tudo. Outro problema sério é que Entidade não deveriam se meter onde não são chamados, deveriam cuidar de outros assuntos. Além disso, essa questão de não raspar um abikú é um caso isolado de um determinado tipo rarííííííííííííííssiiiiiimmmooooooo de abikú e isso não se aplica a todo tipo de abikú. Essa questão e não raspar é muito mais complexa do que esta explicação simplória e pequena que te deram e está muito mais ligada ao conhecimento ou falta de conhecimento de quem te disse isso (incluindo entidades). Vamos conversar mais? Axé. Tomeje.

  21. Jaci

    Então, já rodei várias casas de ketu, mas me encontrei no angola. Geralmente quando alguma entidade virava pra me dizer esse tipo de coisa era sempre em tom de ”aviso”, não demoravam, só diziam e iam embora. Por eu ser de um tipo raro de Matamba as pessoas queria que eu raspasse de qualquer jeito, sem ao menos eu ter certeza se a casa era aquela…Sou muito observadora. Eu tava prestes a me recolher, quando essa minha irmã de santo virou, e a mensageira dela, me relembrou da questão de descer o desembá. Tenho tido vários sonhos com crianças adoxadas, e comentei a respeito com meu tata, e ele me disse que eu n devo saber de certas coisas…Ninguém quer me dizer qual o fundamento que se passa no meu mutue, já conversei com varios sacerdotes e sacerdotizas e uns eu percebo que não sabem, outros ja percebo que sabem demais como no caso do meu tata, e ele diz que nao vai me dizer…Fico na dúvida de várias coisas, pois já aconteceram tantas coisas prestes a fazer o santo, que quero ter certeza. Fora que não quero me recolher sem confiança. A única coisa que sei, é que minha mãe tem um fundamento fortíssimo com Vumbi (Egun), mais do que a Balé no Ketu….Fico sem saber de mais nada..

    1. tomeje

      Jaci por favor procure o blog ocandomble.wordpress e lá procure os posts do Euandilu. Pergunte a ele, pode ser até em nome, sobre isso de abikú em Angola, ele vai te explicar que não há este conceito de abiku nas Casas de Angola. Hoje tem muita gente se dizendo Angola e que na realidade fazem uma misturada danada e no fundo são Umbanda que misturam liturgias e por isso se dizem angola. Jaci, não existe isso de qualidades raras de Orixa, Inkisse ou Vodum, todos os caminhos (qualidades) tem a mesma importância e são apenas caminhos destes Deuses, nada além disso. Caminhos dos Deuses. Se um Deus seguiu um caminho ou outro, ou seja se Ele é conhecido por um nome ou por outro isso é indiferente, o que importa é o Orixa, Inisse ou Vodum, o que importa é a essência do Deus. Além disso, só por vc ser de uma “qualidade rara de Matamba” não faria sentido vc não poder raspar, mesmo que seja por um pretenso caso de abikú. Jaci eu sou de Ketu e no Ketu quando temos um caso de abikú nós fazemos as cerimonias devidas e raspamos os filhos, num único caso não raspamos, mas mesmo assim as cerimonias são feitas e a liturgia da iniciação é feita da mesma forma. Penso que há muito fervo em torno de certos assuntos e há principalmente muita confusão e muita mistura de liturgias, o que propicia estas confusões e estes desencontros de informação. Jaci aprenda o mais breve possível que candomblé é fundamentalmente a manutenção de uma cultura determinada e que dentre as “nações” de candomblé é importante manter viva a sua cultura. O que é de Ketu pertence ao ketu, o que é de Angola pertence ao Angola e não deveriam se misturar desta forma, podem até ser complementares em alguns pontos, mas assuntos como este de abikú pertence ao Ketu e deveria ser resolvido nos limites da cultura e liturgia do Ketu, isso evitaria problemas como o seu. Se vc confia no seu Tata de Inkisse, deixe de procurar o que vc não vai achar e se entregue, faça sua iniciação e seja feliz. Se vc acha que deve saber antes de tudo, aí vc vai sofrer, porque cada um (assim como eu) vai te dar uma explicação e vai confundir ainda mais sua cabeça. Decida-se por um caminho e siga nele.

  22. jorge de ogum

    olar eu gostaria de saber se tem algum caminho como fala os bahianos de abiku pois tem um amigo que foi feito em feira de santana e lá disserao pra ele que ele tem o caminho de abiku e que todo ano ele teria de fazer uma limpeza para este abiku que seria um enxoval de bebe,mamadeiras,chupetas,carrinhos,bonequinhos e entre outras coisas que crinças gostam isso e verdade

    1. tomeje

      Jorge de Ogum seja bem vindo. Eu, em particular, acho que o bom uso das palavras pode ajudar muito na nossa religião, digo isso porque logo que li seu comentário vi que vc usou o termo “caminho de abikú”, e isso faz toda a diferença. Explicando. Muitos usam a palavra abikú para amedrontar e tentar tornar as pessoas reféns de suas Casas com histórias terríveis e ameaçadoras. Mas quando se fala que alguém tem no seu caminho alguma ligação com os abikú “caminho de abikú” a coisa é bem diferente, entende-se que esta pessoa por algum motivo precisa, ou que é bom para ela, manter essa ligação com os abikú. Por exemplo. No caso de gêmeos em que um morre, o outro deve, necessariamente, cuidar deste abikú para ele não se sinta sozinho no Orum. Há alguns outros motivos para que alguém precise ou seja recomendável que esta pessoa cuide de abikú. Por isso, eu creio que seja um destes casos que seu amigo está inserido, e isso não é nada de ruim, pelo contrário, pode até ser muito bom para ele e principalmente para o abikú, que se sentindo cuidado e amado e respeitado pode intervir a favor do seu amigo. Axé, espero ter ajudado. Tomeje.

  23. Rafael de yemanja

    Bom dia, estou com uma duvida que cada dia que passa me deixa mais deprimido, vou explicar: sou da nação jeje mahin, sou abian estou no mesmo centro a 3 anos confio muito no meu pai de santo porém tem uma coisa que esta me afetando muito, fiz um jogo de búzios com ele a 3 anos atras e ele me confirmou como abiku, mas tem algumas coisas que nao batem tipo minha história de nascimento confirmado pela minha mãe minha gestação foi de gêmeos porém meu irmão nasceu morto, e ela disse que quando grávida de mim ela sonhou que um espírito disse que havia acabado de falecer e que iria rencarnar na gravidez dela, e pra surpresa dela quando eu nasci vim junto com um irmão gêmeo morto, na época minha mãe nao tinha recursos e nao fez exames de ultra ou raiox entaos só ficou sabendo no nascimento.
    Essa e minha história ninguem sabia deste fato ate o único jogo que fiz, minha duvida e o seguinte como eu sou abiku se nunca tive problemas de saúde, meu único problema e o temperamento quente. A final abiku ou abiaxe no meu caso estou disposto a sair da religião pois nao me sinto nenhum pouco como abiku.

    1. tomeje

      Rafael de Yemonjá, o tempo de abiã é o melhor tempo do mundo no candomblé, neste período podemos fazer tudo pois não somos ainda sábios o suficiente pra sermos cobrados pelos nossos equívocos, como por exemplo, este seu equívoco de querer sair da religião antes mesmo de compreender a diferença entre abikú e abiaxé.
      Abiaxé é aquele que nasce no axé (na Casa de axé) ou de uma mulher que esteja recolhida para iniciação e que esteja grávida.
      Abiku é aquele que nasce para morrer ainda muito jovem, apesar de existirem outros conceitos e entendimentos sobre isso, e também existirem abikús que depois das cerimonias específicas tem vida normal, ou seja, não morrem novinhos.
      No seu caso específico, vc tem ligação com abikú sim, vc compartilhou do mesmo ventre onde uma criança morreu, portanto, vc pode sim ser classificado de abikú, ou de alguém que tem ligação com abikú como eu disse antes.
      Rafael o candomblé é muito mais complexo do que está escrito em blogs, sites e livros, e só se aprende candomblé com humildade, calma, paciência e respeito a religião. Vá com calma meu irmão, nem tudo que vc acha que deve saber hoje, vc está preparado para descobrir, muito do que os mais velhos sabem hoje eles aprenderam ontem. Espero ter ajudado, Tomeje.

  24. MSC

    Boa noite, Nelson. Tudo bem? A sua bênção. Primeiramente quero parabenizá-lo pelo blog, nos ajuda a esclarecer muitas dúvidas. Bom, gostaria de saber se uma pessoa que tenha nascido com o cordão umbilical envolto ao pescoço é considerada abikú. Além dessa questão, se essa pessoa tiver nascido de um ventre onde foi gerada uma gravidez nas trompas que ocasionou um aborto espontâneo e de um nascimento de uma criança que faleceu aos 2 anos de idade, reforça a possibilidade dela ser considerada abikú. Desde já, obrigada pela atenção.

    1. tomeje

      MSC, obrigado pela visita e pelo carinho, desculpe a demora mas eu estava em período de provas da faculdade e foi complicado. Mas, sim, vc pode sim ser considerado um abikú, mas isso deve ser muito bem visto num bom jogo, pois há uma diferença importante entre ser abikú e ter ligação com essa espiritualidade. Muitos de nós temos ligação com abikú por diversos motivos e nem por isso somos abikú, entendeu a diferença? Axé, Tomeje.

  25. MSC

    Boa noite, Nelson. Fique tranquilo, imaginei que o senhor estivesse com obrigações mesmo, mas o importante é ter recebido sua ajuda. Bom, deixa eu esclarecer uma questão: um Baba, há um tempo, abriu o jogo de búzios para mim e sem eu comentar absolutamente nada sobre essas questões me disse que eu era abikú e que eu precisava cuidar bastante da minha vida espiritual. Ele não entrou em detalhes, só reforçou muitas vezes a necessidade que eu tinha de me cuidar. Como até então não sabia do que se tratava comecei a pesquisar, ler bastante, etc., mas como sei que isso não é o suficiente resolvi pedir a sua ajuda também. O sr. acha que eu deva ir a outro jogo para confirmar? Mais uma vez, muitíssimo obrigada pela sua atenção e pela grande ajuda que nos oferece aqui no blog. Asé!

  26. MSC

    Ah, ia esquecendo de comentar sobre sua resposta. Lendo alguns comentários aqui e comparando com a sua postagem para a minha dúvida, consegui perceber que existe sim essa diferença entre ser abikú ou ter no nosso caminho alguma relação com essa espiritualidade. Mas se uma pessoa for abikú ou tiver essa espiritualidade no seu caminho, ela deverá cuidar de algo especificamente?

    1. tomeje

      MSC eu sou favorável a fidelidade a um único jogo, então se vc se sentiu feliz e seguro com este jogo, permaneça com ele. De certo as orientações foram pertinentes (não estou julgando a competência de quem jogou), se vc tem ligação com esta espiritualidade e se for de seu desejo, é bom vc cuidar sim. Mas sem compromissos, sem medos de cobranças e sem temores, aprenda a cuidar conforme o jogot e orientar e cuide como cuidaria de uma nova amizade com carinho e respeito. Axé, Tomeje.

  27. MSC

    Ok, Nelson. Confesso que senti muita confiança no que me foi dito, por esta razão buscarei mais informações de como deverei agir. No mais, fico imensamente grata pela ajuda que me deu. Obrigada mesmo. Asé!

  28. MSC

    Bom dia. A sua bênção, Nelson. Gostaria que, se possível, o sr. falasse um pouco sobre os Odu Òdí e Òfún. É possível? De antemão, obrigada.

    1. tomeje

      MSC acho que faço melhor te indicando um outro blog, ocandomble.wordpress.com, lá vc vai encontrar um irmão meu, o Da Ilha, ele é Babalawo e entende muito mais que eu desse assunto, que é muito complexo e muito sério, mas ao mesmo tempo é muito simples, pois fala de “caminhos” de vida. Leia os posts dele e vc poderá estudar um bocado sobre o tema. Lembre-se de estudar sobre Odu, sem preocupações de saber nada de odi ou sobre ofum, só se precocupe em conhecer o que é Odu e quem é Ifá Olodumare, o resto do assunto (odi e ofu) virá como brinde. Axé, Tomeje.

      1. tomeje

        MSC, mais uma coisa, tem muita gente que se prende as informações gerais de um Odu. Por exemplo: Quem responde em Odi é orixá A e B, quem responde em Ofum é orixá C e D. Que os arquétipos das pessoas destes odu é esse ou aquele. Coisas deste tipo, generalizações, mas esquecem de discutir o mais profundo e principalmente esquecem que o Odu que se apresenta num jogo a um cliente ou filho é um Odu transitório/mutável, o Odu que rege a vida do cliente ou filho só será visto de fato por um Babalawo em cerimonias específicas (awofakan) ou pelo Pai/Mãe de santo (na iniciação) e que este Odu que rege o filho ou cliente é composto por dois Odu (dois caminhos). Portanto é bem mais complexo o assunto, por isso te indiquei um especialista Babalawo que pode te ajudar melhor.

  29. MSC

    Muito obrigada pelas informações, Nelson. Visitarei o blog indicado.

  30. Francisclei

    boa Noite, Minha mãe morreu no meu parto, hoje tenho 35 anos tenho que fazer algum procedimento para minha vida andar? Digo, pois nunca concigo me firmar na vida, nem financeira e sentimental, parece que vou crescer e caio. Concegue me aconselhar sobre isso? Desde já agradeço. Axé!!!!!

    1. tomeje

      Francislei bom dia. Lendo sua pergunta dá perceber, ou pelo menos eu tive a impressão, que há uma série de outros assuntos ligados. Em primeiro lugar. Nem todos que nascem com cordão no pescoço, ou que suas mães morrem no parto, ou que o irmão gêmeo morreu no parte, ou qualquer outra circunstância, que por coincidência, esteja citada no texto, podem ser colocados no “conceito” abiku. É preciso entender que o principio/conceito de abikú é um muito mais complexo do que imaginamos, e só um bom jogo e a experiência de um bom olhador (quem joga) pode determinar se alguém é ou não abikú. A segunda questão está ligada ao seu pensamento (sem críticas, ok?) de que o motivo da sua instabilidade na vida possa estar ligada a esta questão de ser abikú. Isso não procede meu irmão, a sua situação de vida é fruto de suas escolhas pessoais. Com certeza, a religião pode ajudar dando orientações e conforto, mas não acredito magias. O caminho do equilíbrio será longo e pode, por ventura, exigir esforços e sacrifícios de sua parte, principalmente em relação a mudança de postura diante da vida e das relações com trabalho e sentimentos. E nem sempre as pessoas querem entender isso, preferem imaginar que num passe de mágica as coisas se resolverão, que não minha opinião, não existe, é um processo de mudança. Meu irmão o melhor é vc buscar um jogo de sua confiança e pesquisar o que os orixás te dizem e te orientam sobre sua vida. procure um lugar de confiança e alguém que vc realmente confie. Espero ter ajudado. Axé, Tomeje.

  31. Lk..

    Olá. boa noite,
    meus guias , dizem ke sou pronto, ke fui um pai de santo em outra vida, que sou filho de ogum xoroque, andei lendo que filho de xoroque ja nasce um abiaxe , mais minha mae nunca foi iniciada no santo. e quando toca pra xoroque , sua energia vem a mim , e incorporo. sou mesmo um abiaxe carregando isso de outra vida?? obrigado!

    1. tomeje

      Lk bom dia e seja bem vindo. Vamos aos poucos. Em primeiro lugar é preciso que esclareçamos o que é esta energia que chamam de ogum xoroque. Dizem que é meio ogum e meio exú, que é terrível e que se deve ter medo dele. Tudo isso para dar a pessoa que “incorpora” esta energia um ar de poderoso e assim impor o medo aos outros. A única coisa que não dizem é que esta energia é um Vodum do panteão Jeje. Se trata de um Gú que tem a função exclusiva de cuidar das portas dos terreiros de Jeje. Não é e nunca foi um Exú e muito menos é um Ogum. Também, segundo a tradição Jeje, este Gú não incorpora em ninguém e não é feito no Jeje. Mas com as diversas trocas de “águas” (Ketu Jeje Angola Efon e outros) não se sabe o motivo deste Vodum ter sido incluído na lista de qualidades de Ogun, inclusive com histórias tão complicadas, que na verdade só servem para macular e esconder a sua origem Jeje. Xoroque é Jeje, um guardião das Casas Jeje.
      Onde vc leu isso de abiaxé e xoroque é uma péssima referencia porque confunde coisas que não tem ligação alguma. Abiaxé, como vc viu no texto é uma condição litúrgica e não tem nada com xoroque.
      Lk, me permita ser bem direto. Não existe isso de “pronto”, seja na umbanda ou candomblé, todos tem que passar por suas iniciações e completar seus ciclos de aprendizado, sempre com a orientação de um mais velho. Ninguém vem pronto e ninguém aprende nada sozinho e não existe possibilidade de um Guia ensinar tudo ao seu médium, é sempre preciso que o médium aprenda na Casa de axé no dia a dia. Quando alguém se diz pronto, como no seu comentário, que me leva a crer que vc é bastante novo na religião, isso deixa claro que vc realmente acredita que está pronto e isso é muito perigoso meu caro. Infelizmente é muito comum as pessoas acreditarem que estão prontos e depois se depararem com a realidade de que não sabem o suficiente para exercer qualquer cargo num Axé. Por isso eu te aconselho a rever isso de “estar pronto”.
      Vc pelo visto é de umbanda ou tem uma ligação muito forte com umbanda, estou certo? Se for isso , ou se vc frequenta uma Casa que misturas as coisas, te aconselho a procurar boas leituras e uma boa Casa de umbanda ou de candomblé para que assim vc seja bem orientado.
      Meu caro, não me leia como se eu fosse arrogante ou dono da verdade, mas a realidade da nossa religião ´´e que temos cada vez mais que estudar e deixar de lado estas informações sem pé nem cabeça como a que vc leu. espero sinceramente não ter te ofendido e ter ajudado. Axé, Tomeje.

  32. armandobarbosa

    sou abiku……….tenho 51 anos, tudo meu e dificil,vejo mortos e ouço vozes q fazer vivo isolado q fazer para melhorar minha vida em financeira e espiritual
    aguardo respostas…..

    1. tomeje

      Armando sej abem vindo. Em primeiro lugar algumas perguntas. Quem te informou que vc tem ligação com a sociedade abikú? Esta pessoa não fez nada para te orientar como tratar e como te ajudar? Vc diz que vive isolado, mas isolado do que? Socialmente ou fisicamente (num local isolado)? Seja quais forem as respostas que vc dê, eu posso te assegurar que não existem milagres nem passes de mágica, é preciso que vc tenha contato com a religiosidade, que compreenda como funciona esta relação de “sociedade abikú”, se é que de fato vc tem alguma ligação com ele, e principalmente é preciso que alguém cuide de vc espiritualmente meu irmão. Axé, Tomeje.

  33. MSC

    Boa noite, Tomege. Irei relatar um fato e gostaria que o sr. me ajudasse a entender, por favor. Uma pessoa deu um Borí, assentou seu òrìsá, mas por questões diverengentes se afastou da Casa que frequentava. Depois de 2 anos sem frequentar nenhuma terreiro, foi numa festa das Ayabás numa Casa de Ketu e de tradição. Lá, ela passou mal e houve a manifestação do seu òrìsá. Depois desse dia, ela começou a sentir tonturas, tremores por todo o corpo, dor de cabeça, suor nas mãos, pés gelados, coração com batimento acelerado, formigamento nos pés e sensação de dormência nas pernas. Num determinado momento o incômodo foi tanto que ela precisou de atendimento médico. Chegando no hospital foi constatado que a pressão arterial estava elevada. Após esse episódio, ela fez um check-up com clínico geral e cardiologista, mas todos os exames estavam normais. Esses “problemas” vem ocorrendo há 3 meses e semana passada ela parou numa emergência médica por causa dos mesmos sintomas e o médico solicitou uma bateria de exames enquanto ela estava internada, e mais uma vez o resultado dos exames deu normal. Isso poderá ser o òrìsá dela dando sinais de que ela precisa fazer algo relacionado à vida espiritual, visto que ela está afastada de uma Casa? Apesar de que, desde a saída dela da Casa que frequentava não ter deixado de cuidar do seu òrìsá da maneira que podia e sabia fazer. Asè!!!!!

    1. tomeje

      MSC eu penso que o Orixa deu sinal quando a encaminhou para uma Casa e ela fez alguma cerimonia lá. Esta questão e divergências é uma coisa que eu não entendo, sinceramente, me arece que todos procuram uma casa mágica onde tudo seja cor de rosa, quando não encontram isso, se decepcionam e saem da Casa por divergências. É só um desabafo meu…. Ver p texto Decepção de Pai Marcio de Jagum. Mas voltando ao assunto. O orixá deu os sinais naquele momento, agora é uma questão de dar continuidade a vida religiosa. Mas sem a cobrança de que o orixá exige isso ou aquilo, este amor deve se incondicional e verdadeiro da parte dela para o orixá, ela tem que antes de tudo estar apaixonada pelo orixá e pelo candomblé, porque, divergências sempre existirão em qualquer Casa de Axé, e para não haver nova decepção da parte dela, eu acho prudente que vá frequentando e vendo aso poucos o que acontece com o coração dela. Acho que é o melhor caminho. Axé, Tome j e rsrsrsrs

  34. MSC

    Correção do texto: *divergentes.

  35. MSC

    Compreeendo, sr. Tomeje. Mas a questão dos sintomas físicos que ela tem sentindo e que do ponto de vista biológico está bem, isso pode ter alguma relação com a energia do òrísá? Ela já fez todo tipo de exame com clínico geral, cardiologista, etc, e todos os resultados foram normais. Ela já não sabe mais o que fazer. Grata.

    1. tomeje

      MSC não pra dizer com 100% de certeza que seja de Orixa, é preciso que um jogo confirme, mas…. que tá com cara de orixá isso tá !! Posso dar um chute e dizer que 99% de chance rsrsrsrsrsrsr. Axé e felicidade para sua amiga. Axéô, Tomeje.

  36. MSC

    99% de chance, Tomeje? O sr. já disse tudo. Rsrs. Falarei com ela para que procure uma Casa confiável e faça a confirmação num jogo. Tomeje, o sr. não imagina o quanto nos ajuda com as respostas que nos dá aqui. Muitíssimo obrigada mais uma vez. Asè!!!!

  37. Carolina de Oyá

    Tomeje, até que enfim achei o senhor por aqui.. kkkkkkk foi uma busca incessante…. mas achei kkkk. então, vi alguns posts do senhor lá no outro blog e adorei, procurei pelo senhor lá e não estava mais , mas graças a Deus achei depois…….. O que o senhor diria pra uma pessoa q é abiã e já foi dito no jogo q será ekedi?

    1. tomeje

      Carolina de Oyá, seja bem vinda e muito obrigado pelo carinho. Eu saí do ocandomblé porque não dava mais para conciliar o pgm de rádio o pgm de televisão do Ori e os afazeres do deste blog, só por isso, mas continuo visitando o ocandomblé e os meus amigos de lá. Carolina algumas Casas, inclusive a minha, tem este costume de deixar a pessoa na roda durante o período de abiã para ter certeza de que o jogo apontou corretamente como ekedji ou ogan, eu acho que é uma forma de dar a esta pessoa e também a própria família de axé, a certeza de que ele/a é ekedji ou ogan. Não estou defendo esta prática só porque na minha Casa isso é feito assim, eu já vi alguns casos, incluindo o meu próprio caso, onde o jogo apontou uma coisa e deu outra no final. Acho que é um procedimento mais seguro, al´[em disso a pessoa também se familiariza com a roda com os irmãos e com as danças, penso que só tem a ganhar nesta relação. Axé, volte sempre, Tomeje.

  38. MSC

    Olá, Tomeje. Tudo bem? Mais uma vez estou aqui para tirar dúvidas. Rsrs. O sr. sabe me informar quais terreiros na Bahia cuidam adequadamente de pessoas que sejam abìasè ou abiku? Grata. Asè!

    1. tomeje

      MSC, todos os grandes terreiros que eu te indiquei cuidam muito bem de Orixa e aí inclui estes casos. Mas lembre-se que o que de fato vai determinar se é preciso cuidar ou se vc ou alguém é de fato abikú ou abiaxé é o jogo daquela Casa. Há pouco tempo eu conheci uma pessoa que jurava de pés juntos que era abiaxé, e o jogo não indicava nada disso. Ela voltou a quem jogou para ela e foi dito que ela era abikú, e novamente o jogo não disse nada disso. Resultado, eu acabei saindo como mentiroso, a pessoa queria ser “algo especial” e acabou tomando obrigação com aquele pai de santo que fez diversos ebós para abikú e abiaxé e deu a ela o que ela queria, “ser alguém especial”. Não que meu jogo seja o melhor, mas no meu jogo não indicava estes caminhos, só isso. Então oq eu vale é confiar na Casa e fazer o que aquele jogo determinar. Axé, Tomeje.

  39. MSC

    Ok, Tomeje. A pergunta surgiu porque se eu futuramente for a uma Casa para o jogo, buscarei uma das indicadas pelo sr. para ver se haverá a confirmação de que eu seja abiku. Não quero correr o risco de cair em “mãos erradas”. O sr. me entende, não é? Obrigada, Tomeje. Asé!

  40. CIGANA

    OLA,MINHA FILHA É ABIAXÉ NASCEU FEITA MAS AQUI NO CEARA TERRA DE NINGUEM,AS PESSOAS NAO ME FALAM NADA A RESPEITO NEM A PROPRIA MAO QUE ME RASPOU,ACHO QUE NEM ELE SABE.BOM,EU SOU BE PELA INTERNET QUE ELA ERA ABIAXE POIS EU ESTAVA DE SETE MESES QUANDO RASPEI E ENTAO CREIO EU QUE ELA SEJA E O BABALORIXA QUANDO ME RASPOU FEZ TAMBEM O IGBA DELA E DISSE QUE ELA ERA OXUM,MAS NAO FOI DE OXUM QUE EU RASPEI O MEU ORI,BOM NAO ENTENDI O SANTO DELA TINHA QUE SER O MEU TAMBEM OU NAO?DEPOIS QUE ELA NASCEU DE PARTO CESARIA POIS ESPEREI ATE O ULTIMO MINUTO E ELA NAO VINHA ,O BABA FEZ O RESTO DAS OBRIGAÇOES NELA.SO QUE EU SAI DO ILE DE ONDE FUI FEITA,POIS NEM SEI BEM PORQUE,MAS SENTI QUE ELE ME ESCONDIA MUITA COISA E FUI FICANDO ENRAIVADA,BOM VOLTANDO AO ASSUNTO,NAO ENCONTRO UM ILE AQUI NO CEARA QUE ACEITE A CONDIÇAO DELA,ELES SIMPLISMENTE QUEREM NEGAR O QUE JA FOI FEITONELA, E EU NAO ACEITO ISSO.O QUE EU DEVO FAZER POR ELA,ESPERAR?ELA É LINDA E ADORA O CANDOMBLE, UMA RODA,TEM APENAS 3 ANOS MAIS UM APOSTURA DE ADULTA NA RODA INCRIVEL.A OUTRA FOI FEITA DE OYA COM 8 MESES JUNTO COMIGO TAMBEM MAS AS PESSOAS AQUI NAO ACEITAM CRINACINHA NOVA ,SO QUE JA FOI NE JA FEZ,O QUE FOI FEITO NAO SE VOLTA MAIS,ELA É RODANTE MAS NAO RECEBEU AINDA SEU ORIXA,E TEM UMA MEDIUNIDADE IMPRECIONANTE ELA DE REPENTE FALA ALGO E SEGUNDOS DEPOIS ACONTECE,FORA O FATO QUE ELA CHOROU DUAS VESES NA MINHA BARRIGA.AGORA A BOMBA FINAL RSRRS NAO PARA MIM POIS SEMPRE CRESCI E SEMPRE ME SENTI ABENÇOASDA E ILUMINADA PELO MEU ORI MINHA MAE EWA,BOM EU DISSE BOMBA PORQUE JA DEU PARA PERCEBER QUE EU FUI FEITA GRAVIDA DE SETE MESES E DE YEWA,NUNCA ME ACONTECEU NADA APESAR DE DISEREM QUE VOU MORRER ,MAS QUEM NAO VAI NAOÉ KKKKK,AMO MINHA MAE,E AGRADEÇO POR TODA INTUIÇAO QUE ELA ME DA E DICERNIMENTO MAS TENHO PROBLEMAS E MUITOS PARA ENCONTRAR OUTRO ILE POIS ORA QUEREM ME RASPAR DE NOVO DE OYA OU OSUM OU YEMNAJ ANINGUEM SABE O QUE ME DAR E EU DIGO SEMPRE CLARO QUE NAO SABEM SOU DE YEWA,MUITOS NAO ACEITAM PELA CASO DA LENDA VIRGEM,SO QUE EU SEI DE MEU PRIXA ELA SABE DE MIM…MAS O FATO NAO É MEU ORIXA E SIM MINHA FILHINHA LINDA ELA SERIA NO CASO DE EWA TAMBEM POR TER CIDO FEITA NA MINHA BARRIGA OU OXUM ESSE FOI SEU IGBA DE FEITURA.

    1. tomeje

      Cigana seja bem vinda. Em certos segmentos de candomblé não se cultua alguns orixás, como é o caso do Nago Egbá de Recife e o caso do Xamba no Rio Grande do Sul eles tem um panteão diferente. Em outros segmentos de candomblé não se cultuam determinadas qualidades de orixás que a maioria cultua, e o rolo é bem grande. Isso tudo é devido a entendimentos pessoais sobre alguns assuntos que dizem ser litúrgicos, mas que na prática é só falta de conhecimento daquele segmento de candomblé específico, e fica cada um apontando o dedo para outro dizendo que o outro é errado. No seu caso por exemplo, eu em particular, entendo que Yewa não é um orixá ignorante e vaidoso no sentido pior da palavra, Yewá sabe muito bem que sexo faz parte da vida e não é por que a mulher deixou de ser virgem que Yewá vai deixar de ser seu orixá. O próprio nome yewa está ligado ao “bom caráter”, então podemos ligar o orixá Yewa ao bom caráter e a beleza. E lendo os itans a respeito de Yewá percebemos que foi por causa do seu bom caráter e por não ter cedido as investidas de Xangô, um homem já casado, que Yewa tornou-se a mãe do bom caráter, ela não aceitou ser amante de Xangô. Isso é bem diferente de ser uma virgem e coisa e tal. Até porque não existe um itan que diga que Yewa nunca teve um relacionamento com Omolu ou Oxumare, certo? Portanto esta coisa de dizer que o caso de Yewá é um assunto litúrgico deve ser mais bem esclarecido e aprofundado. Nãopodemos ficar neste mundinho de virgens e de guinomos e de fadas.
      Sua filhinha pode ser sim de outro orixá, até mesmo de Oxum, mesmo ela tendo passado pelos oros na sua barriga, isso não obriga que ela seja de Yewá também, não tem problema algum. O que vc fala de que não aceitam a condição dela é uma surpresa para mim, se vc tem como provar que o seu pai de santo fez os oros dela após o parto, ela deveria ser aceita na comunidade como uma iniciada sim. Talvez o problema seja outro, né? talvez seja contigo o problema.
      Sobre te raspar novamente. Se Yewa pega sua cabeça e se vc foi raspada, não há motivo algum para raspar novamente, ainda mais para outro orixá, isso é triste de ver.
      Não fique chateada com isso, compreenda que as pessoas não tem o mesmo entendimento seu sobre o assunto, não que vc conheça tudo e que eles estejam errado, não é isso, mas de acordo com o que eles aprenderam, eles não aceitam esta condição como certa. É só uma questão de pontos de vista. Mas o ideal é que vc ache alguém que pense como vc e que respeito oq eu foi feito pelo pai de santo anterior, isso é fundamental. Axé, Tomeje.

  41. Dorfona de Yemanja

    Boa noite
    Bençã
    Uma pessoa que e abiku entra em transe?
    E um abiaxe por herança entra em transe?
    Como diferenciar um do outro claramente ou como reconhecer um abiaxe por herança?
    Quando um abiaxe por herança e iniciado ele também leva uma cabaça no ori?
    Bjs
    Axe!!!

    1. tomeje

      Dofona de Yemanja, seja bem vinda. Em primeiro lugar nós precisamos entender muito bem e muito claro o que é um abiaxé e o que é um abikú, e este texto é bastante elucidativo quanto a esta diferenciação, e este passo é fundamental para vc compreender sua própria pergunta. Ser abiaxé ou ser um abikú não influencia em nada no transe, conhecemos diversos abiaxé e diversos abikú que viram de orixá normalmente.
      Mas uma coisa me chamou a atenção no seu comentário, é esta questão de abiaxé por herança, eu nunca ouvi falar disso. O conceito de abiaxé, como explicado no texto, é que uma pessoa nasceu na Casa de Axé ou de um ventre cuja a mãe estava em processo de iniciação quando grávida. Hoje devemos levar em conta que no tempo que foi determinado este critério as mulheres não tinham tantos recursos para saber de uma gestação, por isso, hoje em dia o abiaxé deve ser confirmado no jogo também, poruqe há a possibilidade de “fabricar um abiaxé” e isso foge da liturgia do candomblé. Mas, se abiaxé é aquele que nasce do axé, não vejo como alguém pode ter esta herança, entendeu? No meu entendimento isso de abiaxé por herança não existe. Axé, Tomeje.

  42. Manueli

    Boa noite, A sua benção!! tenho 23 anos dizem que sou meji no iniciando agora no axé e são dúvidas que nunca foram esclarecidas por favor me ajude, eu era gêmeas, só que meu irmão morreu quando minha mãe estava aos 4 meses de gestação, e eu fiquei nasce de parto cezzario toda laçada no cordão umbilical, essas características mim fazem um ser abikú?

    1. tomeje

      Manueli bom dia. Hoje em dia há uma moda entre muitos zeladores que saem apontando todo mundo como “meji” (número dois), ou seja, aquela cabeça que é ao mesmo tempo de dois orixás. Eu aprendi que a condição e meji só se dá quando a pessoa é, por exemplo, de Ogum com Ogum, Oxum com Oxum, Yemonjá com Yemonja e assim por diante, o mesmo orixá em primeiro e segundo lugar no mesmo ori. Eu posso te garantir que mesmo quando existe a condição e orixás distintos (Ogum e yemonjá por exemplo) dividindo o mesmo ori (cabeça) isso é ainda mais raro e muuuuiiiiitttooooo mais raro mesmo. Não é que eu não acredite que vc seja meji, o problema é que são tantos hoje em dia que fica difícil acreditar que quem lhe disse conhece de fato deste assunto.
      Sobre ser abikú. Sim esta condição indica que vc tem ligação com abikú. Ter ligação com abikú é diferente de ser abikú. Vc pode ter ligação com abikú devido seu irmão ter morrido e vc ter habitado um útero que gerou um abikú, isso é diferente, por outro lado, a sua condição e nascimento é atípica e precisa ser muito bem vista num bom jogo. Mas se vc foi informada de ser meji só porque seu irmão morreu e vc sobreviveu, isso indica que vc deve procurar outro jogo. Axé, desculpe a dureza das palavras, Tomeje.

  43. Manueli

    Eu também achei estranho, apesar de não conhecer muito dizem que sou meji de Oxum Yapondá com Ogum Wares, obrigada pelo esclarecimento bjuss

    1. tomeje

      Manueli eu sou do tempo que as qualidades dos orixás de alguém eram ditas no momento da iniciação ou muito próximo da iniciação da pessoa. Hoje, o cliente se senta na mesa de jogo e já sai de lá sabendo as qualidades dos seus orixás, o nome da pomba-gira e o odu do seu caminho. Isso para mim é estranho e complicado, me parece uma maneira de impressionar o cliente ou o novo filho de santo. Sobre a questão de ser destes orixás, é claro que vc pode ser destes orixás sim, mas bastaria informar que é de Oxum e Ogum, nada além disso. Se vc tem realmente interesse em saber e se aprofundar neste assunto, sugiro que vc primeiro conheça quem são estas energias Oxum e Ogum, isso é mais importante que pesquisar sobre qualidades e assuntos como abikú. E talvez seja interessante vc procurar um outro jogo para confirmar isso tudo. Axé, Tomeje.

      1. Manueli

        Fico grata pelo esclarecimento!!

  44. Heloisa ferreira

    Amei,uma bela contribuição para minhas pesquisas,relacionadas ao assunto.

    1. tomeje

      Heloisa Ferreira, seja bem vinda ao blog. Axé, Tomeje.

  45. valdeci Maria

    Não sei se sou abikú ou abiaxe ,só sei que não encontrei ninguém que consiga resolver meu problema ,já tentei várias casas ,mas nada se resolve recentemente fui ao jogo e me perguntaram se eu tive algum problema ao nascer ,não sei responder, pois minha mãe morreu eu estava com 14 anos ,hoje tenho 48 anos , me sinto perdida .ele falou que meu caminho é muito difícil ,porque nada foi feito quando eu nasci ,passou muito tempo .Só sei que não é justo pois não tive culpa e nem meus pais ,desde que nasci que sofro ,nada dá certo ,ele falou também que nada meu pode levar sangue ,que não posso raspar a cabeça , como resolver esse problema ,o que devo fazer ,o Senhor poderia me esclarecer alguma coisa.

    1. tomeje

      Valdeci Maria seja bem vinda. Em primeiro lugar é preciso que vc tenha entendido o texto que vc leu aqui sobre abikú e abiaxé, ele é bastante claro sobre as diferenças, vc leu o texto? Vc consegue se enquadrar num dos requisitos do texto? Minha irmã, vc está buscando a coisa errada. Religião não é um passe de mágica que vai resolver sua vida, ela no máximo pode te auxiliar a se compreender, achar e entender o seu próprio caminho, te dar forças para seguir em frente e a partir disso vc trilhará o seu caminho com a segurança de que está seguindo o SEU MELHOR caminho. Volto a afirmar, religião não é mágica. Vc diz que NÃO É JUSTO que vc sofra e que nem vc nem seus pais tiveram culpa. Concordo em parte, mas nossa religião ao contrário da religião católica, não prega que tudo é cor de rosa e tudo é bom e belo e que todos tem que viver num mar de rosas. Mas também não é uma religião punitiva ou que tenha pactos com “forças do mau” ou que escolha alguém para pagar o pato e outros para serem felizes. Nossa religião é secular e tem princípios claros de conduta diante da vida minha irmã, por isso eu concordo em parte contigo. Por que a religião que eu pratico diz muito claramente que CADA UM É RESPONSÁVEL PELOS SEUS ATOS e isso deixa claro que não existem magias que recuperem o tempo que vc tenha perdido percorrendo caminhos equivocados ou tomando decisões erradas, ou se prejudicando com atos inconsequentes, ou sendo rude com os outros, ou qualquer oura coisa que vc possa ter feito intencionalmente com sua vida e que tenha reflexos nos dias de hoje. Te falo isso por que vejo muita gente fugindo da vida, deixando de estudar, de trabalhar, de ser produtivo quando deveriam fazer isso e agora, que a idade esta cobrando seu preço, querem recuperar o tempo perdido com ebós e magias. Como se isso fosse possível. A religião serve justamente para te guiar nestes casos citados te ir dando orientação de como se comportar diante da vida e como encarar as dificuldades da vida e as suas próprias dificuldades, que no seu caso podem muito bem ter sido originadas pelo trauma da perda da sua mãe, aí sim a religião pode ajudar te confortando e te dando uma direção. O candomblé, que aprendi a conhecer, é exclusivamente uma família que tem todas estas funções. Por este motivo eu penso que a pessoa que te falou isso tudo que vc escreveu talvez não conheça bem a própria religião e tenha o costume de falar demais. procure um bom jogo em uma casa séria e de tradição. Mas lembre-se de que a religião vai te apoiar e te orientar, mas não vai resolver os seus problemas, isso só vc poderá fazer por vc. Desculpe a dureza das palavras, mas não sou do tipo que vende minha religião e não compactuo com isso de amedrontar as pessoas para no final tirar benefícios financeiros dela. Axé, Tomeje.

  46. valdeci Maria

    Tomeje o meu problema não é me conformar com o meu sofrimento, ao contrario sou muito resignada com a minha vida , eu só procuro entender .quando nasci figuei entre a vida e a morte , mas graças a Deus sobrevivi.confirmei com um dos meus irmãos mais velhos.nunca fui iniciada , mas sempre que vou a uma festa ,o meu caboclo só da o Ilá. e pronto,o orixá fica meta-meta.nunca dei um bori .o que foi dito no jogo é que ao nascer era pra ter sido feito algo ,e não foi feito ,por isso tantas dificuldades em minha vida,ele falou em um carma de vida , e que eu precisava dar sempre um presente para esse abikum .perguntei se tinha como reverter essa situação ,ele disse que destino não muda ,isso eu também sei ,mas não existe solução para meu caso? , mesmo que já tenha passado tanto tempo,eu preciso entender e buscar solução.há de ter algum fundamento dentro do Axe para esse problema.se não pode correr sangue em nada meu , não poso raspar , tudo tem que ser branco,o que deve ser feito ,e o pior ou melhor não sei ninguém pega em minha cabeça,é isso que preciso saber oque deve ser feito?

    1. tomeje

      Valdeci Maria vc, me parece, que continua procurando a coisa errada. Não há milagres ou magias, há sim, trabalho e aprendizado religioso. Também não concordo que alguém deve sofre eternamente ou injustamente, mas como eu te falei antes, a nossa religião é clara sobre “cada um tem o seu caminho e deve aprender a andar nele”. Sinceramente vc me parece não ter compreendido o texto nem a minha resposta. Sei perfeitamente que vc quer solução para o seu problema e não alguém que te diga isso que estou te falando aqui, mas é isso que eu posso te oferecer, o aconselhamento de que vc precisa se conhecer antes de tudo. Sobre o que lhe foi dito sobre não ter ejé (sangue), isso não é verdade, numa iniciação tem ejé sempre, por isso te recomendei que procure uma outra opinião num jogo confiável. Pelo que vc escreveu dá pra perceber uma mistura e uma falta de conhecimento e uma grande falta de orientação. Por exemplo, quando vc falou que seu caboclo dá ilá, caboclo não dá ilá. Quando vc fala que o orixá fica “metá metá”. Existem diferentes tipos de mediunidade, isso é fato, mas Orixa ou pega a cabeça ou não pega, “meta metá” não existe. O que pode ocorrer é que vc pensa que todas as pessoas quando manifestados de orixá “apagam”, e isso não é verdade, há mediunidades onde a pessoa mantem certo nível de lucidez durante o transe, e talvez seja o seu caso. Talvez vc devesse procurar outra casa e outra orientação minha irmã, por que eu só posso especular ou tentar adivinhar tomando por base o que leio aqui, e vc precisa de alguém que te mostre o caminho. Por mais que vc ache que existem meiso de resolver o seu problema com passes de mágica, eu aconselho a não acreditar se alguém te disser isso. Espero sinceramente ter ajudado. Axé, Tomeje.

  47. Ivanete

    Boa noite Pai,
    Encontrei esta página em uma ótima hora.
    Eu ia em uma casa onde me disseram que meu único filho é um abiku, pois antes dele tive um aborto. Fiquei com a cabeça muito confusa pois não me explicaram sobre isso e ainda por cima me disseram que ele teria que tomar um banho com uma erva super difícil de ser encontrada senão ele não passaria dos 54 anos.
    Outra coisa, após o nascimento dele eu tive um segundo aborto e foi dito também que este abiku está prejudicando minha vida.
    Por favor, me ajude, isso tudo que me disseram tem fundamento?
    Aguardo ansiosamente a resposta!

    1. tomeje

      Ivanete seja bem vinda ao blog. Vc leu com calma o artigo sobre abikú e abiaxé? Este texto fala de crianças, exclusivamente de crianças. Este texto tenta explicar a maneira como os nossos ancestrais viam a questão da morte prematura. Há religiões que confortam seus fies dizendo que seus filhos natimorto ou mortos prematuramente viraram anjos e que estão no ceu. Nós explicamos essas mortes como parte da vida natural e há também o conceito de que estas crianças formam a “sociedade abikú”, e que eles por vontade própria não desejam conviver aqui na terra (Ayê) e preferem viver no ceu (Orun) com seus pares, por isso já vem para a terra predestinados a morte prematura. Existem outras sociedades nos cultos de matriz africana, por exemplo o culto das “grande mães ancestrais, as Yami”, ou o culto ” babaegum” entre outros. Isso faz parte da nossas histórias de formação e de compreensão do candomblé. Pena que muitos as utilizam para impor o medo aos outros e muitas vezes extorquir as pessoas. O que mais me chamou atenção é que vc falou de um filho, um senhor de 54 anos, é isso mesmo? Porque nesta idade ele não se enquadra em perfil abikú, ele já superou a idade infantil há muito tempo. O máximo que podemos falar de alguém nesta condição é que ele “teria” algum tipo de relação com esta sociedade abikú, e que, talvez, fosse interessante que ele cuidasse destas energias. Mas dizer que ele vai morrer por causa de abikú aos 54 anos de idade é irracional e mentiroso. Talvez vcs dois tenham que cuidar de abikú sim, é possível, assim como cuidamos de orixás e entidades, podemos cuidar de abikú (se for nosso caminho).

      Sobre vc especificamente. Se vc retirou a força um filho, se vc o matou deliberadamente, aí sim vc pode ter que “responder” a sua própria cabeça por este ato. Mas mesmo assim, mesmo neste caso, temos que avaliar com calma o motivo deste ato de aborto. Só a partir de uma avaliação criteriosa e calma é que se pode ver o que vc tem que fazer para acalmar a sua cabeça e seu orixá, até aí não entra nada de abikú cobrando nada, porque como o próprio texto fala, o abikú teria escolhido vir neste ventre que o abortaria, e sendo assim ele também seria conivente e por isso não pode cobrar nada de vc. Se pensarmos friamente, o abikú é que deveria ser responsabilizado ou culpabilizado, afinal, ele já veio a terra sabendo e compactuado com seus pares no orun que ele retornaria o mais rápido possível, isso tem que ser levado em conta também. Abikú sabe que vai retornar cedo ao orun, isso é importante de vc saber. Abikú não é aquele que morre, é aquele que já vem sabendo e decidido do seu retorno. Vá com calma e com serenidade neste assunto, não se deixe levar por pessoas que conhecem pouco ou nada ou que querem se aproveitar. O conceito de religião Yorubá (candomblé) não é como o catolicismo que prevê punições e moralismos para cercear as pessoas, também não é um vale tudo, mas há sempre uma explicação melhor do que essa que te deram, sem pé nem cabeça baseado em crendices e falta de conhecimento. Espero ter ajudado. Axé, Tomeje.

  48. Lorenna

    Olá, estou iniciando no candomblé tenho me informado muito a respeito, meu primo e feito de santo me apresentou de certa forma a espiritualidade e o axé que envolve essa religião, já fiz ebos em breve farei o bori mas estou em dúvida com relação a feitura de santo, minha família é católica e tem me recriminado muito, mal posso me vestir de branco, quero muito servir aos meus orixás pois acredito que esteja preparada, serei a primeira filha do meu pai de santo, ele entende muito e tem me ajudado bastante, porém eu tenho uma filha pequena e ninguém para cuidar dela nesses 21 dias, ele disse que posso fazer junto com ela, que ela já fica no rondeime junto comigo e sai feita de santo tbm… Mas receio chegar em casa com a cabeça raspada, quem dirá se eu fizer c a minha filha tbm, todos vão me recriminar, além do mais tenho dúvidas c relação a isso, pois não encontro nada que fale a respeito, tenho receio de questionar meu pai de santo. O sr pode me ajudar?

    1. tomeje

      Lorena seja bem vinda a religião. Aquino blog tem diversos textos que podem te ajudar, também no blog ocandomble.wordpress tem textos, clicando na foto da Dayane, vc vai encontrar um material muito rico. Mas vamos ao seu assunto. Eu acho muito prematuro alguém ser iniciada com tão pouco tempo de religião. Também acho pouco prudente iniciar sua filha agora, creio que seja mais coreto fazer um bom jogo e ver se o orixá da sua filha está propondo a iniciação dela.
      Lorena no candomblé ninguém serve ao orixá, a pessoa se encontra com seu orixá e isso faz toda diferença. Eu sugiro que vc estude mais, que vc sinta melhor o seu orixá, que vc conheça melhor o seu Pai e sua Casa de Axé e que seja abian durante mais tempo. Não que eu duvide da competência do seu Pai, mas a prudência ainda é o melhor caminho a seguir. Axé, Tomeje.

  49. Patricia Ribeiro

    Boa tarde já havia lhe contatado para falar de minhas duvidas pois nasci gêmea de um irmão morto sempre fui uma criança doente passando por cirurgias de garganta e narizquando criança.engravidei na aadolescência e meu filho nasceu morto aos seis meses de gestação,meu segundo filho nasceu prematuro com uma especie de meningite e viveu um ano e meio de convulsões e cirurgias mil depois faleceu a terceira e quarta crianças foram como a primeira a quinta criança esta viva a sexta criança tevemorte ssúbita aos cinco meses de nascida,raspei meu santo há um ano e minha mae caiu de cama misteriosamente não se recupera nos devaneios e loucuras dela acabamos descobrindo que ela raspou santo quando estava gravida e desistiu quando viu meu irmão morrer depois do parto então.Como fica minha situação depois de descobrir que sou abiaxé?sigo normalmente e tomo dois anos de santo? Para completar eu estou sem casa pois a mae de santo brigou com a vó de santo e deu um tempo para se reorganizar…

    1. tomeje

      Patrícia eu reli os seus comentários e pelo qe me parece as coisas continuam da mesma maneira. O meu conselho sincero é que vc procure uma boa Casa de Axé. Onde vc mora? Talvez eu possa te indicar alguém para tentar te ajudar. Axé, Tomeje.

  50. vera

    Preciso de sua ajuda,por favor preciso fazer algumas perguntas sobre Abiku.Minha história pode ser muito estranha mas é real.Ajude-me.Obrigada

    1. tomeje

      Vera todos os atendimentos que nós prestamos no sentido de tentar ajudar com informações, são feitas exclusivamente pelo blog, não temos outro canal de comunicação. Vc pode escrever aqui que será atendida com todo carinho e respeito. Axé, Tomeje.

  51. Rodney

    eu sou Abiku, mais muitos me tratam como babalorixá e muitos me chamam de Pai, isso é certo ??? tenho 32 anos de vida mundana mais em axé de Oxalufã são 3 anos
    nesse caso por eu ser abiku eu terei 32 anos de santos ao inves de 3 ???? as vezes sinto uma depressão muito grande como se a morte estivesse chegando perto de mim . isso é comum para quem é Abik ????
    Axé eterno a todos
    meus repeitos a todos meu Mojuba !!!!!!!

    Rodney de Oxalá !

    1. tomeje

      Rodney, me desculpe, mas acho que vc não compreendeu a diferença entre abiku e abiaxé, são coisas muito diferentes meu irmão, por favor releia o texto e veja as diferenças. Em certas casas de axé é comum que os filhos de Oxalufã sejam chamados de babazinho. isso é uma forma carinhosa de se referir a Oxalufã que é considerado o Pai de todos, mas isso não significa que te tratem como babalorixa, isso é bem diferente. Vamos conversar mais? Axé, Tomeje.

  52. caroluna ferraz

    Ola. Boa noite. Li sua reportagem e me chamou atenção. Tenho 36 anos. Tenho vontade de conhecer a religiao e de saber mais sob o assunto. Minga mae perdeu um filho antes de mim. Foi um aborto natural e minha getacao foi completamente perturbada. Nasci de oito meses, sendo que minha mae ficou o setimo mes mes internada correndo grave risco de vida e o parto foi cesaria prq eu ja estava com grandes problemas no coracao. E meu pai teve qna epoca assinar uma autorizacao para poderem fzr esta cesaria. Nasci com oito meses e fiquei um mes na encubadora.Diz que as chances de eu nascer eram muito grande. E ate minha cabeca foi cortada quando fizeram a cesaria. Exste possibilidades de eu ser uma abiku? Caso sim o que isto mudaria?

    1. tomeje

      Carolina Ferraz, não há como te dizer isso. Acho que é mais prudente vc procurar alguém de sua confiança e jogar, mas certifique-se de que é uma pessoa realmente idônea e de confiança. Sinceramente, descobrir se vc é abikú, na sua idade, não muda nada na sua vida. Pode até ser que num caso destes onde a pessoa descubra tardiamente esta condição, ela tenha que cuidar de alguns aspectos da espiritualidade ligados aos abikú, mas daí a pensar que isso pode influenciar na vida da pessoa é outro assunto e que deve ser cuidado por alguém de sua confiança para não haver dúvidas. Axé, Tomeje.

  53. Maria

    Motumbá

    Tomeje, há meses estou com essa dúvida e pouca coragem de perguntar e investigar sobre. Sei que a melhor maneira de respondê-la é procurando um jogo de búzios, mas não queria pedir pra minha Iya jogar antes de ouvir outras opiniões rs.
    Senta que lá vem história: sou a filha mais nova da minha mãe. Ela passou por um aborto e 3 anos depois teve um filho que, nascido prematuro, morreu com menos de 1 mês de idade. Após isso, ela teve mais dois filhos, um nasceu com 6 meses de gestação e o outro com 7. Minha gestação foi conturbada (minha mãe teve que ficar de cama por vários meses) e nasci num parto de emergência pois estava quase morrendo na própria barriga, com várias voltas do cordão umbilical enrolado no pescoço. Daí até os 5 anos, sofria com convulsões e coisas do tipo, que hoje em dia não tenho mais.
    É possível que eu seja um abiku?

    Obrigada pela resposta e perdoe qualquer incômodo.

    Axé

    1. tomeje

      Maria seja bem vinda ao blog. Não há incomodo algum em perguntar, isso é saudável e deve fazer parte do aprendizado de todos nós, sempre teremos dúvidas e devemos recorrer aos mais velhos sempre. Fico feliz por ter nos procurado. Lá vem a história. Estou, agora, me formando em História, veja que legal rsrs. Maria eu aprendi que existe muito mais a ser discutido neste assunto do que simplesmente apontar se alguém é ou não é abikú. Precisamos compreender que o termo “abikú” designa uma “sociedade” um grupo de espiritualidades que são destinadas a cumprir uma função específica. Também precisamos compreender que esta foi a maneira como nossos ancestrais puderam compreender a morte prematura, com os abikú. Seu relato indica sim uma grande possibilidade de abikú, mas nem por isso VC pode ser classificada como abikú. Apesar das circunstancias que indicam isso, apesar de vc ter nascido de um ventre que gerou vários abikú, mesmo assim VC pode não ser, isso só o jogo indicará. Mas é certo que vc, por ter compartilhado deste ventre, terá LIGAÇÂO com a sociedade abikú. E veja que eu coloquei bem claro que vc terá ligação, e ter “ligação com” é diferente de “ser abikú”. Portanto é preciso cautela para ver isso, mas de certo vc tem esta ligação sim, e TALVEZ tenha que cuidar desta espiritualidade, ms isso só o jogo vai te dizer o motivo e como cuidar. Axé e volte sempre. Tomeje.

      1. Maria

        Em História? Que formação bacana =) Aposto que vai ser super útil até mesmo dentro da religiosidade!
        Enfim, meu medo não é nem morrer (porque já tou grandinha, passei da idade, né?), mas sei que o espirito abiku tem a ver com ancestralidade e morro de medo de algum dia tentar ter filhos e passar pelas mesmas experiências que a minha mãe…
        De qualquer forma, da próxima vez que minha Iya jogar pra mim vou pedir pra ela dar uma olhada nisso.

        Obrigada mesmo!
        Axé

  54. fernando

    nao sou da religiao mas nasci na feitura da minha mae no ronco de 7 meses minha avó era mae de santo ela dizia que eu era abicu ;minha tia irma de meu pai que eu nao conhecia dizia que eu era abiaxe sempre tive essa duvida minha avo faleceu e minha mae saiu do candomble e e da igreja nao gosta nem de comentar esse assunto conhece alguem no rio que entende do assunto e possa me ajudar pois conheci uma equedi e to começando a frequentar uma pessoa jogou e confirmou isso mas outro pai de santo disse que eu tenho que raspar o que faço

    1. tomeje

      Fernando seja bem vindo. Como vc leu no texto, há uma enorme diferença entre abiku e abiaxé, muitos confundem ou simplesmente não conhecem o assunto e misturam as coisas. O seu relato é de um abiaxé e não de abikú. Há caas que também não conhecem bem o assunto e dizem que a pessoa que nasceu nesta circunstâncias conta o tempo de iniciada com o tempo de vida (se a pessoa tem 20 anos ela teria 20 anos de iniciada). Porém, pelo o que eu aprendi, e eu posso estar errado, esse entendimento é errado também, porque mesmo que vc tenha nascido no roncó, quem foi iniciado foi a sua mãe e não vc, por isso não se conta tempo para abiaxé até que ele seja iniciado. Além disso eu em particuar acho muito estranho que alguém receba obrigações de tempo e não tenha o conhecimento necessário do que é candomblé, mesmo na situação de abiaxé, portanto, para mim, ser abiaxé é uma condição normal e não dá privilégio nenhum a ninguém. Mas muita gente, pai e mãe de santo que quer status e quer dizer que tem um abiaxé na Casa, cuidado com isso. E há aquelas pessoas que são abiaxé e só o que querem é ter tempo de iniciado pelo simples fato de ter status, ou achar que isso vai lhe dar algo a mais, isso é uma besteira enorme meu irmão. Meu conselho é que vc seja iniciado, conte o seu tempo, aprenda o que for da sua competência e siga seu caminho em paz com seu orixá. Sobre vc raspar, isso é certo, todos devem ser iniciados como manda o figurino, ou seja, devem ser raspados sim, isso inclui abiaxé. Por isso vá com calma não caia em ilusões e contos de fada. Tem muita gente que acha que ser abiaxé é ganhar tempo e não ter que respeitar os outros, isso é outro erro. Conheço sim algumas ótimas Casas de Axé e posso te indicar sim, mas de onde vc aqui no RJ? Tomeje.

  55. Elvira

    Minha filha é abiaxé, gostaria que me esclarecesse, ela tem que ser raspada? Ou so toma as obrigações? Como será esse procedimento?
    Dês de já agradeço e peço o seu kolofé. Outra pergunta gege faz abiaxé? Bjs obrigada

    1. tomeje

      Elvira seja bem vinda ao blog, kolofé Olorum, axé. Elvira, vejamos as condições tradicionais que determinam se alguém é de fato abiaxé:

      1 – Abiaxé é aquele que nasceu dentro do terreiro, cujo parto se deu no axé, e isso hoje é quase impossível por todos os motivos que sabemos.
      2 – Abiaxé é aquele que a gravidez só foi descoberta quando a mãe estava no roncó sendo iniciada/raspada, o que também é muito raro hoje.

      Elvira eu tenho visto que muitos confundem as coisas e dizem que basta a criança estar no ventre quando a mãe tomar qualquer obrigação para aquela criança ser considerada um abiaxé. Isso não é verdade, a condição de abiaxé é ímpar e rara.
      Não é em jogo que se vê isso, é na própria circunstancia do nascimento que se determina o abiaxé.

      Eu aprendi que um abiaxé deve ser raspado como qualquer outro filho, afinal, quem passou pelos oros de iniciação foi a mãe, e por este motivo, o abiaxé deve ser iniciado normalmente, raspado e tudo mais. Muitos também dizem que o abiaxé conta o mesmo tempo de iniciação da mãe. Eu aprendi que não, as obrigações de tempo não são dadas tendo como base o tempo cronológico. As obrigações de tempo obedecem a um tempo diferenciado, é o tempo do axé, e neste tempo o que vale é o aprendizado individual da pessoa, antes de dar obrigação é preciso saber se aquela pessoa está apta a tomar obrigação, se ela aprendeu alguma coisa do axé que a habilite a ingressar em novos mundos de aprendizado do axé, e isso tem seu tempo pra cada pessoa. Obrigação de tempo (01, 03 e 07) são passagens de níveis de responsabilidades com o Egbé (família).
      Se as Casas de Axé respeitassem este detalhe não teríamos tantos problemas na religião com pessoas que desconhecem a liturgia e o sagrado da nossa cultura religiosa (desabafo meu, desculpe).

      Por tanto, um abiaxé deve percorrer o mesmo caminho dos demais, ser inciado, aprender, dar obrigação de tempo e só depois ser um mais velho (egbomi).

      Elvira o Jeje é outra cultura e outra forma de cultar seus Deuses, não sei se eles tem a figura do abiaxé, afinal o abiaxé é da cultura Ketu. Espero ter ajudado, axé, Tomeje.

  56. Gyzanne Fernandes Rochael

    Boa tarde. Dizem que sou abiache mas eu não sei nada a respeito.gostaria muito de uma luz em meu caminho,pois quando eu fiz bori perdi tudo.

    1. tomeje

      Gyzanne seja bem vinda. Como vc leu no texto, o conceito de abiaxé é : Aquele que nasceu do axé ou no axé. Ou seja, aquele que nasceu no barracão, ou cuja mãe teve trabalho de parto no barracão ou aquele que estava no ventre de sua mãe enquanto ela estava recolhida para ser iniciada. é o seu caso?

      Sobre o seu bori. Há um ditado que diz o seguinte: Se sua cabeça (Ori) rejeitar algo, nem mesmo seu orixa pode modificar isso. Isso vale pra tudo na vida. Se sua cabeça estiver ruim, fraca e com pensamentos negativos, nada pode se realizar de bom pra vc, o seu Orixa não pode te ajudar. E isso não significa que o seu Orixa seja fraco, pelo contrário, isso significa que a sua cabeça (seu Ori) é o verdadeiro dono dos seus caminhos, e que tudo de bom na sua vida é fruto de vc ter, e conservar, a sua cabeça saudável. Por isso de tempos em tempos fazemos bori.

      O bori é uma cerimonia muito importante, muito mesmo, como vc viu no que eu te escrevi agora. Então, não é qualquer pessoa que pode fazer bori nos outros, e o bori deve ser indicado em jogo de búzios por pessoa séria e competente. Portanto, a primeira coisa que te peço é que vc responda o seguinte para vc mesma: A pessoa que fez o bori é confiável e competente? Vc confia nela? Esta pessoa é de fato um sacerdote de candomblé? Responda isso. Porque estas respostas implicam diretamente em um bom bori.

      Mas também tem outro assunto que devo levantar. Vc diz que perdeu tudo, creio que vc esteja falando de financeiro, certo? Se alguém te disse que depois do bori sua vida financeira ia melhorar esta pessoa mentiu. Bori (Bo = alimentar, Ori = cabeça) é uma forma de equilibrar a cabeça, de alimentar sua energia interior, e a partir disso, deste equilíbrio, vc deveria ter condições de “enxergar” melhor as oportunidades a sua frente e agir em seu benefício, entendeu? Bori por si só não muda a vida de ninguém. Bori não faz vc melhorar de vida nem lhe dá o amor da sua vida. Bori te equilibra espiritualmente para vc poder ter caminhos melhores.Mas é sua responsabilidade caminhar com segurança e determinação por este novo caminho.

      Se as resposta acima forem todas afirmativas, talvez fosse legal vc procurar a pessoa e falar claramente que o bori foi ruim pra vc e ver se ele pode te ajudar em alguma coisa. Ou então procurar outra pessoa e ver um bom jogo para te orientar. Axé, espero ter ajudado. Tomeje.

  57. vanessa

    boa noite..; bom tenho uma duvida muito grande soubre abikun… bom sou gemeas ja fui em 3 pais de santo ea duvida aumentou, o primeiro falou que eu por ser gemeas eu e minha irma eramos aikun. o segundo falou que eu e minha irma vinhamos por linha de abikun. ja o terceiro falou que eu nao era abikun e que nao existe meio termo ou voce e ou nao e… por favor me ajudo pois ja nao sei mas o que fazer…

    1. tomeje

      Vanessa bom dia, seja bem vinda. Conforme vc leu no texto, há determinadas circunstâncias que definem o abikú. O nosso texto é bem esclarecedor sobre o assunto e bem simples de compreender, veja se vc se enquadra em algum dos casos, se afirmativo isso, PODE, indicar que vc tenha alguma ligação com esta sociedade. Veja que eu falei de “ter ligação com abikú”, e isso é totalmente diferente de SER abikú. As vezes uma pessoa pode ter esta ligação devido a abortos anteriores. Explicando. Como ela passou por útero que abrigou um abikú, então, ela poderá ter ligação com esta sociedade abikú. Mas a pessoa talvez não seja abikú, entendeu? Eu fico com a explicação do terceiro sacerdote, não tem meio termo, e muito menos a ligação sua com sua irmã (gemea) significa que vc seja abikú. O que te recomendo é que vc procure alguém que seja de candomblé, que seja feito, que tenha Casa de Axé, e que vc possa confiar para ver isso. Mas uma dúvida me ocorreu agora. Qual o motivo de vc ter sido apontada abikú? Como este assunto surgiu no jogo? O que vc foi buscar nestes jogos? Axé, Tomeje.

  58. vanessa

    Boa tarde pai tomaje? Bom eu estava com poblemas de saude e fui fazer um jogo pra saber o que estava acontecendo pois nao estava achando melhoras,no primeiro pai de santo que fui. ele falou soubre mediunidade aflorada saiu a minha irma no jogo e eu expliquei que era gemeas,algum tempo depois eu conversava com ele e ele falou que eu nao raspava pois eu era abikun….eu lia nao via nada procurei outra pessoa onde abriu um jogo falou a mesma coisa..depois o terceiro pai de santo que e amigo do meu marido nos conversando soubre o assunto ele falou que nao existe meio termo ou e ou nao e..entao minha duvida ficou pior pois eu nao sei mais o que fazer.. meu marido e oxogun ela fala que isso nao existe mas outros pais de santo ja eu nao entendo muito soubre o assunto…
    e isso muito obrigada pela sua atencao

    1. tomeje

      Vanessa esta foi a resposta que eu dei no seu comentário anterior, espero que te ajude a compreender um pouco mais. Mas afinal, e o problema aue foi procurar solução. foi resolvido, ou só criaram novos probelmas na sua cabeça?
      Vanessa bom dia, seja bem vinda. Conforme vc leu no texto, há determinadas circunstâncias que definem o abikú. O nosso texto é bem esclarecedor sobre o assunto e bem simples de compreender, veja se vc se enquadra em algum dos casos, se afirmativo isso, PODE, indicar que vc tenha alguma ligação com esta sociedade. Veja que eu falei de “ter ligação com abikú”, e isso é totalmente diferente de SER abikú. As vezes uma pessoa pode ter esta ligação devido a abortos anteriores. Explicando. Como ela passou por útero que abrigou um abikú, então, ela poderá ter ligação com esta sociedade abikú. Mas a pessoa talvez não seja abikú, entendeu? Eu fico com a explicação do terceiro sacerdote, não tem meio termo, e muito menos a ligação sua com sua irmã (gemea) significa que vc seja abikú. O que te recomendo é que vc procure alguém que seja de candomblé, que seja feito, que tenha Casa de Axé, e que vc possa confiar para ver isso. Mas uma dúvida me ocorreu agora. Qual o motivo de vc ter sido apontada abikú? Como este assunto surgiu no jogo? O que vc foi buscar nestes jogos? Axé, Tomeje.

  1. Diferença de Abikú e Abiasé – Jornal Awùre

    […] que está intimamente ligada aos “amiguinhos das florestas” que com freqüência o chamam de volta. Muitas vezes nasce pro cesariana, ou de parto normal sanguinolento. É uma criança agitada, com […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>